Sábado, 30 de Janeiro de 2010

O Adeus de Góis ao Amigo Girão

Funeral realizou-se ontem

O adeus de Góis ao amigo Girão. Das figuras públicas ao mais simples munícipe, foram largas centenas de pessoas que se despediram do ex-presidente, que todos viam como homem bom.



Os populares não se cansam de elogiar o homem que, dizem, estava sempre disponível para ajudar. Entre aquele que foi até há alguns meses o presidente da Câmara de Góis, Girão Vitorino, e aqueles com quem se cruzava diariamente na rua, não havia diferenças. Era sobretudo «um amigo», disse ontem um dos muitos munícipes presentes no último adeus ao ex-presidente da Câmara de Góis. A doença – um cancinoma pulmonar detectado há dois anos – foi mais forte e Girão Vitorino não resistiu. Faleceu quinta-feira e ontem foi a enterrar, no cemitério de Góis, depois de uma missa de corpo presente na igreja matriz à qual assistiram largas centenas de pessoas.

Da personalidade do homem que foi presidente da Câmara de Góis, o seu povo, aquele a quem serviu durante nove anos, destaca a humildade e simpatia. «Era uma pessoa exemplar», comentava Fernando Barata, no decorrer do funeral do seu antigo presidente, lembrando o tempo em que conheceu Girão Vitorino, na altura em que este começou a trabalhar em Góis por conta da EDP. Conceição Custódio, também habitante de Góis, vai mais longe e afirma mesmo que «toda a gente gostava dele, mesmo quem não era da sua cor política».

De facto, diferenças políticas foi o que não se notou existir no funeral do ex-presidente. De uma ponta à outra do distrito, praticamente todos os autarcas fizeram questão de marcar presença no último adeus ao antigo colega. Porque, na verdade, Girão Vitorino foi isso mesmo: um companheiro de profissão. De Oliveira do Hospital a Tábua, passando por Soure, Penacova, Miranda do Corvo, Lousã, Penela ou Pampilhosa da Serra, entre muitos outros presidentes de Câmara, todos estiveram lá, nas cerimónias fúnebres, assim como o governador civil, o presidente da Federação Distrital do PS e muitos outros responsáveis a nível distrital.

O secretário de Estado Paulo Campos representou o Governo, mas acabaria por estar em dupla condição. «Venho também como homem da região, que está reconhecido pelo trabalho feito pelo Girão. Toda a sua vida foi um lutador e nesta região os lutadores são precisos», afirmou Paulo Campos, prestando a «homenagem» e «reconhecimento» ao antigo presidente da Câmara de Góis.

Lutou por Góis,
lutou contra a doença
A simpatia que todos apontam a Girão Vitorino estende-se a Espanha. O alcaide de Oroso, vila geminada com Góis, deslocou-se de propósito para o adeus àquele que diz ter sido «um amigo». O relacionamento com Girão Vitorino começou com o processo de geminação, mas foi muito além disso. «Era mesmo amizade», recordou Manuel Miras Franquilha, afirmando mesmo que desde o momento que o conheceu o achou uma pessoa «muito humana» e «amigo dos seus amigos».

Girão Vitorino iniciou a sua vida autárquica em 1977, como vereador e acabaria por assumir a presidência da Câmara de Góis em 2000, com a saída de José Cabeças para a ARS. Manteve esse cargo até 2009, e foi mesmo com alguma dificuldade que o terminou, devido à doença. Diz quem com ele privou mais de perto nesta fase mais difícil da sua vida que ele foi um lutador. Victor Baptista foi um deles. Falando no homem «simples, de trato fácil, mas inteligente e estratega», o presidente da Federação Distrital do PS reconheceu também que «estava em profundo sofrimento». «A natureza roubou cedo Girão Vitorino», lamentou Victor Baptista, recordando o dia de segunda-feira passada, em que esteve com ele no hospital e ele «ainda estava consciente» e com vontade de «regressar por um dia a Góis». «O concelho perdeu um grande homem, o PS perdeu um dos grandes no distrito e eu perdi um amigo», disse, com emoção, o presidente da distrital.

Lurdes Castanheira, que acabaria por encabeçar uma candidatura socialista em virtude da doença de Girão Vitorino, recorda os longos anos de amizade entre os dois e tudo aquilo que aprendeu com o antigo autarca. «Foi a pessoa que mais me ajudou a avançar com uma candidatura», reconheceu, considerando ser «um privilégio suceder a um autarca como Girão Vitorino». Qualidades? «A extrema humildade, carinho, dedicação, sentido de filantropia e grande disponibilidade para ajudar», sintetizou a autarca.

«Foi sempre um lutador convicto, nunca baixou os braços e foi um autarca exemplar», reconheceu, por sua vez, o governador civil, Henrique Fernandes.

Vozes
Estava sempre disponível. Alguma coisa que nós pedíssemos ele ajudava no que fosse preciso. O Sr. Girão Vitorino lidava bem com toda a gente.”
Fátima Neves
Habitante de Góis

Góis perdeu um grande defensor das causas do concelho que, não sendo seu natural era seu de adopção. Eu perco um grande amigo.”
Helena Moniz
Vereadora no último mandado de Girão Vitorino

Girão Vitorino era uma pessoa muito humana e amigo dos seus amigos. Desde o momento em que o conheci que me brindou com a sua amizade.”
Manuel Miras Franquilha
Presidente da Câmara de Oroso, Galiza, Espanha

Conheci-o no ano de 81, quando vim para Góis trabalhar. Foi uma pessoa com quem tive a oportunidade e o grato privilégio de conviver e aprender.”
Lurdes Castanheira
Presidente da Câmara de Góis


in Diário de Coimbra, 30/01/2010

publicado por penedo às 11:59

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2010

Casa do Concelho de Góis

 




 

No princípio de mais um ano, a Direcção da Casa do Concelho de Góis fez um pequeno balanço da sua actividade do ano anterior e encontra-se satisfeita com as acções que teve, presenciou e apoiou.

Reunimos com regularidade, elaboramos alguns eventos, representamo-nos sempre que possível em encontros regionalistas e demos “vida” à Casa de todos os goienses em Lisboa, tendo desta forma dado o devido “sinal de vida”.
 

Como sempre, de segunda a sexta-feira entre as 20:30H e 22:30H encontra-se na Casa uma colaboradora que além de fazer a limpeza também pode fazer a marcação de reuniões e disponibiliza o acesso ao armário da correspondência das colectividades.

A Direcção está presente todos os sábados na Casa das 15:00H às 21:30H para receber todos quantos nos queiram visitar.

A Casa do Concelho de Góis, está e sempre esteve receptiva a disponibilizar as suas instalações para a realização de quaisquer eventos. Contacte-nos, temos um salão que prima pela versatilidade e dimensões invejáveis.

Queremos mudar! Estamos abertos a novas ideias mas para isso é necessário a presença dos nossos conterrâneos e amigos. Também precisamos de “sangue novo” mas fundamentalmente de ideias que sejam compatíveis entre o espírito regionalista e os novos/actuais estilos de vida para que possamos engrandecer, divulgar e promover grandiosa e merecidamente o nosso concelho.

Deixamos aqui uma mensagem aos mais novos:

O regionalismo não é coisa de velhos, é sim, uma forma gratificante e humilde de amar as nossas origens.

Faz-te sócio da Casa do Concelho de Góis!!!

Em Março, teremos a nossa Assembleia-Geral onde iremos submeter à apreciação dos nossos associados, um relatório onde apresentaremos a referida actividade e as contas. Em breve serão enviadas convocatórias e agradecemos desde já a presença de todos os sócios.


Conselho Regional:
 

O Conselho Regional da Casa do Concelho de Góis reuniu com bastante frequência e empenho debatendo e propondo algumas iniciativas. Do trabalho feito por este órgão que agora terminará o seu mandato, destacamos a comemoração do 80º Aniversário do Regionalismo Goiense tendo-se realizado as festas das freguesias de Vila Nova do Ceira, Alvares, Colmeal, Cadafaz e Góis, esta última que fechou as ditas comemorações.

O Conselho Regional irá reunir em Plenário no próximo dia 20 de Fevereiro às 15:00 na Casa do Concelho de Góis com a seguinte ordem de trabalhos:

Análise e retrospectiva do mandato agora finalizado.

Linhas orientadoras para um próximo mandato.

Outros assuntos do interesse regional do Concelho de Góis.

Convêm relembrar que o Conselho Regional é composto também por todos os presidentes de Direcção das colectividades filiadas, daí a importância da presença de todos. Neste Plenário iremos tratar de assuntos de interesses mútuos para as agremiações e para a causa regionalista.

Também o Conselho Regional quer mudar e adaptar-se aos dias de hoje tendo já abordado assuntos bastante interessantes onde todas as faixas etárias se englobam, sendo eles de carácter regionalista, cultural e regional.

A Casa do Concelho de Góis agradece a atenção de todos.


O Secretário da Direcção da C.C.Góis
Henrique Miguel Mendes
 
 
publicado por penedo às 23:27

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2010

Faleceu o antigo presidente da Câmara Municipal de Góis

 [josegiraop.jpg]                                  
 
 
 
Faleceu hoje em Coimbra o antigo presidente da Câmara Municipal de Góis, José Girão Vitorino, com 62 anos de idade, vítima de doença prolongada.
José Girão Vitorino, foi Presidente da Câmara Municipal de Góis no período 2001-2009. Nasceu a 1 de Novembro de 1947, em Formoselha, Montemor-O-Novo, e era Filho de Joaquim Carlos Vitorino e de Cristina Pereira Girão.
Casado com Maria Elisa Guerra Santos, natural de Vila Nova do Foz Côa, exerceu a sua actividade profissional na Companhia Eléctrica da Beiras / EDP, em Lousã, Ourém e Góis.
Foi também presidente da Direcção da Casa do Povo de Góis, tendo participado em elencos directivos da Associação Educativa e Recreativa de Góis, Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Góis e Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Góis. Para além disso foi eleito vereador em vários mandatos da Câmara Municipal de Góis, alguns deles em permanência.

O seu corpo repousa em câmara ardente no quartel dos Bombeiros Voluntários de Góis, e o seu funeral realiza-se amanhã, sexta-feira [29 de Janeiro], pelas 15h, para o cemitério de Góis. A equipa do RCA aproveita para apresentar as suas sentidas condolências à família enlutada
.
in

publicado por penedo às 19:03

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2010

Jogos de Verão

RECORDANDO

II-JOGOS DE VERÃO

A GRANDE TURMA!...


Dando continuação ao post recordando, aqui fica mais uma imagem.
Seis povoações:Esporão,Cerdeira,Povorais,Ribeira, Vale Torto e Ladeiras,

irmanadas com o mesmo espírito.Outras mais, fizeram parte dos mesmos jogos,

 como os Amieiros e as Aigras.
Foram ambientes de grande alegria e confraternização.
Os jogos de Verão acabaram abruptamente!... Parece-me que as razões de tal acontecimento não foram bem sucedidas,enfim!...
Aproveito para felicitar todas as Aldeias e as suas Comissões Organizadoras,

que participaram nestes inventos, durante trinta e quatro anos. Foi obra podem crer!...

Por todo o vosso esforço e dedicação o meu bem hajam.

 

 


 

Não tenho conhecimento se, em todo o Concelho de Góis ouve outras
realizações do género, que durassem assim tantos anos.
Julgo ter sido um bom contributo, em diversos aspectos e serviços na vida do Concelho.
 
 
 
nota:"
Não querendo meter foice em seara alheia,penso que se podia homenagear esta grande organização, a nível concelhio, a exemplo de outras que se dão neste País".
 
 
 
foto e texto de A.Filipe

in

http://sobreirasdoesporao.blogspot.com/

 

publicado por penedo às 14:10

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Entrudo nas Aldeias do Xisto de Góis

Celebração tradicional do Entrudo nas Aldeias do Xisto de Góis

                Serra da Lousã (16 Fevereiro 2010)

 

 Entrudo nas Aldeias do Xisto de Góis

 

 

16.02.2010

 

Entrudo nas Aldeias do Xisto de Góis

 

 

 


Descrição: Celebração do Entrudo de forma tradicional nas Aldeias do Xisto de Góis em plena Serra da Lousã. Nestas aldeias o Entrudo vivia-se de forma simples. Procurava-se roupa e objectos velhos, algo que ocultasse o rosto e de seguida brincava-se… No Entrudo eram realizadas "corridas" às aldeias vizinhas, onde tudo era permitido: declamar quadras jocosas sobre os habitantes dessas aldeias, atormentar as velhas e seduzir asnovas!
Propomos que venha brincar connosco e motivar estas gentes para o convívio, enaltecendo as suas vivências. O percurso será feito nas seguintes aldeias do Concelho de Góis: Esporão, Póvoa de Cerdeira, Cerdeira, Ribeira Cimeira e Ponte de Sótão e nas Aldeias do Xisto de Comareira, Pena, Aigra Nova, Aigra Velha .
No final deste percurso haverá um almoço-convívio numa das aldeias (Aigra Nova) com todos os participantes e habitantes locais. No final da refeição será feito, à boa maneira beirã, um bailarico, com um bom barril de vinho à descrição.
Embora os participantes alvos sejam habitantes locais ou descendentes de habitantes locais, podem participar pessoas não residentes nestas aldeias, mas que tenham espírito de folia.
Este evento tem a particularidade de ser a 4ª edição e de ter um Concurso de Quadras Tradicionais e ainda de um Concurso de Máscaras de Cortiça.

Objectivo: convívio entre os habitantes e descendentes das aldeias serranas de Góis.

Programa:
9h00 – encontro na aldeia do Esporão: folia, corridas para assustar as velhas e as moças, declamação de quadras jocosas.
Saída para a corrida pela Aldeias, seguindo este itinerário: Esporão, Póvoa de Cerdeira, Cerdeira,Ribeira Cimeira, Pena, Aigra Velha, Ponte de Sótão,
Comareira e termina na Aigra Nova.

12h00– chegada a Aigra Nova onde acontecem os seguintes eventos:
- Atelier de construção de máscaras em cortiça
- Animação com concertinas

13h00 – Almoço na aldeia (gratuito para os “entrudos” e não para os “carnavais”)

14h30 – Início do Bailarico, até não aguentar mais…

Tarde – Bailarico, com intervalos das participações das quadras. Temos um poste com um presunto e um bacalhau no topo. Estarão abertas inscrições para as
equipas que queiram retirar o presunto e o bacalhau.

Meio de transporte: entre as aldeias as pessoas podem levar os seus carros para que no final possam regressar quando quiserem, mas iremos ter 1 ou 2 carrinhas de caixa aberta para os foliões entrarem nas aldeias em “corrida”/tipo invasão.

Ponto de encontro: às 9h00 na aldeia de Esporão (aldeia do concelho de Góis). Duração: todo o dia.

Material que os participantes devem trazer:
Roupa apropriada ao entrudo (e não Carnaval), artefactos que produzam sons estridentes, muito boa disposição e vinho. Salientamos que o entrudo aqui na serra consistia em roupas velhas e uma manga de camisa com orifícios como máscara. Não nos responsabilizamos pelas atitudes dos Entrudos quando se encontrarem com participantes sem traje ou com traje de Carnaval….
A participação é gratuita até ao nº de 100 pessoas ao nível do almoço, existindo prioridade aos habitantes locais, descendentes e aos participantes nas corridas.

Parceiros: Câmara Municipal de Góis, Associação de Melhoramentos das Aigras, Comareira e Cerejeira, Grupo de Concertinistas de Góis, Associação dos Escoteiros de Portugal – Grupo 74 – Góis.

Apoio:
Câmara Municipal de Góis

Organização:

Lousitânea – Liga dos Amigos da Serra da Lousã
Informações:
Lousitânea – Liga dos Amigos da Serra da Lousã
R. dos Bois, Aigra Nova
3330-222 GÓIS
TEL/FAX: 235778644 Telem: 966423677 /
969847852
lousitanea@sapo.pt
www.lousitanea.org
Câmara Municipal de Góis
Posto de Turismo
Tel: 235 770113 4

 

 

 

publicado por penedo às 14:09

link do post | comentar | favorito
|

POEMA "A MANOBRA P’RA LAÇADA"

              
 

Convivi com carvoeiros
Na função especializados
Maioria dos Amieiros
P’ras torgas endiabrados


Nem sempre despreocupados
Dependendo do local
Nalguns espaços vigiados
Por vezes corria mal


Nas uchas ou matagal
Torgas eram arrancadas
De forma vertiginal
A seguir carbonizadas

***

Muita cepa era furtada
E se o vento tramava
O fumo denunciava
Local certo da queimada
Gente da Junta avançava

***

Ernesto Rosa .

.....

 

BLOG-CORTERREDOR

 

publicado por penedo às 14:05

link do post | comentar | favorito
|

À Volta dos Penedos....Entrega do Bodo

 

 
No Domingo, decorreu a entrega do Bodo da parte de tarde, por indisponibilidade do Sr. Padre Carlos, que não podia celebrar a missa da parte da manhã. O tempo ajudou, não choveu e também não estava muito frio o que fez trazer alguns visitantes.
 
Perto das 15 horas, antes da celebração da missa, foi a bênção do Bodo, no final da missa decorreu a procissão.
 

Fotos da bênção do Bodo e da procissão. Para ampliar basta carregar na foto.


 
   Os mordomos e o juiz
 


 
O juiz Armindo Neves ladeado de dois mordomos
 


 
Alguns dos mordomos na Casa do Bodo.
 

 

 
O Senhor Padre Carlos a benzer as castanhas, o pão e o vinho.
 

 

 
   A procissão à saida da igreja
 


 
O andor trazido por alguns dos mordomos
 

 

 
A procissão no Santo António
 

 
   A procissão
 

 

 
Andor da imagem do Martir São Sebastião
 

 
Fotos da entrega das castanhas:


 
As castanhas já benzidas.
 


 
Os mordomos com as cestas das castanhas, para iniciarem a distribuição
 


 
O mordomo da Candosa e do Corterredor
 


 
A entrega das castanhas
 

Fotos da entrega do vinho:


 
O mordomo e o ajudante do Corterredor
 


 
A distribuição do vinho
 


 
Todos estavam à espera ...
 


 
    Depois de comer as castanhas, sabe bem beber um copo de vinho!
 
  

 
Houve muita procura de vinho
 


 
Pai e filho, o ti Manel "De Vide" ficou muito bem na foto.
 

Fotos da entrega do pão:


 
Os mordomos da Cabreira a começarem a distribuição do pão
 


 
Os mordomos do Cadafaz e de Capelo
 


 
A distribuição do pão
 

Fotos dos mordomos, do leilão e da assistência.


 
Os mordomos e juiz de 2010
 
Da esquerda para a direita: Mordomos da Cabreira, Corterredor e Capelo, o Juiz, Mordomos da Sandinha, do Cadafaz e da Cabreira
 


 
O leilão das laranjas que estavam no andor
 


 
Vista de uma parte da assistência
 

 
Amanhã, não perca a ultima parte das fotografias, sobre o convívio a seguir da entrega

Últimos preparativos antes da entrega do Bodo

 
A partir de hoje e durante os próximos três dias, irei colocar as fotografias, referente ao Bodo de 2010.
 
No sábado à tarde, decorreram os últimos preparativos para o Bodo, os quais fui espreitar. Hoje coloco as fotos que tirei nesse dia, para ampliar basta carregar na foto:
 


 
Imagem do Mártir São Sebastião.
 


 
O caniço, visto da parte de baixo, onde são colocadas as castanhas para secarem.
 


 
O caniço, visto da parte de cima e o cesto onde as castanhas são pisadas.
 


 
O mordomo Luciano Domingos, a demonstrar como são pisadas as castanhas.
 


 
As castanhas, que foram oferecidas pelo Cadafaz e Corterredor, foram cozidas e colocadas em cestas.
 


 
É entregue uma chávena de medida a cada pessoa, que está a assistir ao Bodo.
 


 
O mordomo Luciano Domingos e o juiz Armindo Neves no fim da contagem dos pães.
 


 
Ao todo foram contados 1983 pães.
 


 
Os pães.
 


 
Depois de tudo pronto, o mordomo e o juiz estavam com a garganta seca de tanto contar, aproveitaram para “matar a sede”.
 


 
O Filipe (meu marido), eu e o Américo Antunes…
 


 
estivemos a fazer companhia aos Srs. Luciano e Armindo com “dois dedos” de conversa.
 


 

 

 

in

http://cadafaz-gois.blogspot.com/

 

 

tags: ,
publicado por penedo às 13:53

link do post | comentar | favorito
|

Caminhada - Na Rota dos Veados

Caminhada - Na Rota dos Veados

30.01.2010

 

Na Rota dos Veados é um percurso que se realiza na zona alta da Serra da Lousã. Deslumbrante, por sinal.

Percurso muito acessível, com desníveis suaves, quase sempre ao longo de caminhos florestais.
Na Rota dos Veados é um percurso que se realiza na zona alta da Serra da Lousã, percorrendo zonas florestais e de extensos matos de urze e carqueja, habitat preferencial do maior mamífero desta Serra, o Veado.
É possível, ao longo de todo o trajecto, encontrar vestígios deste cervídeo (marcações nas árvores, trilhos, dejectos, pegadas, etc.). Com alguma sorte, também poderemos observar algum destes animais em plena liberdade. Percurso circular com cerca de 8km de extensão.

Descubra as Aldeias do Xisto da Lousã

 

 

in

http://www.aldeiasdoxisto.pt

 

publicado por penedo às 13:47

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2010

Axtrail 2010

Joomla! Logo

 

in

http://axtrail.go-outdoor.pt/

 

publicado por penedo às 17:22

link do post | comentar | favorito
|

Góis distingue-se na BTL 2010

 

 

BTL1


 

BTL2


 

BTL4


 

BTL3

 

in

http://www.cm-gois.pt/

 

publicado por penedo às 10:02

link do post | comentar | favorito
|

Góis entre os nomeados - 7 Maravilhas de Portugal


 

 


 

O Município de Góis, apresentou duas candidaturas "VALE DO CEIRA” e “PENEDOS DE GÓIS” às "7 Maravilhas de Naturais de Portugal”, encontrando-se no momento na fase de nomeado.


 

7_Maravilhas1


O Vale do Ceira é a representação viva da expressão “vale encantado”, composto por toda uma paisagem idílica, repleta de elementos de grande riqueza e biodiversidade, com um elemento natural sempre bem presente, o Rio Ceira, cujas águas cristalinas serpenteiam por todo o vale, conferindo-lhe uma riqueza singular.


 

7_Maravilhas3
 


 

Apresenta um conjunto natural e arquitectónico representativo de uma orografia acentuada, que se traduz numa mais valia, em termos de valor histórico, cultural e etnográfico das gentes que aqui se estabeleceram, abraçando o modo de vida dos seus antepassados, vivendo em consonância com a natureza e dela subsistindo.


7_Maravilhas2


 

Penedos de Góis, topónimo atribuído ao majestoso afloramento quartzítico do período do Ordovício. Trata-se, sem dúvida, de um dos mais soberbos miradouros naturais da região centro, atingindo uma cota de 1043m de altitude no seu ponto mais alto.


 

Para além de possibilitar a contemplação duma extraordinária panorâmica sobre o território em redor, permite aceder também a toda uma riqueza florística e faunística característica da Serra da Lousã, meio onde se encontra inserido e, consequentemente, em Rede Natura 2000. Um ponto de interesse turístico, do concelho de Góis, para todos os aficionados e praticantes de turismo de natureza, desporto aventura, fotografia, entre outras actividades.


 

7_Maravilhas5


 

O Concelho de Góis situa-se na parte oriental do Distrito de Coimbra, inserindo-se na Região do Pinhal Interior Norte. Possui uma vasta área territorial estimada em 276Km2, de enorme riqueza e biodiversidade. A sua vida social e económica cruza-se com a forma de implantação e desenvolvimento dos aglomerados tradicionais existentes, apresentando o território formas de povoamento disperso, como atestam as 190 povoações existentes distribuídas pelas suas 5 freguesias: Alvares, Cadafaz, Colmeal, Góis e Vila Nova do Ceira.


 

7_Maravilhas4


Góis é atravessado pelo Vale do Rio Ceira, sendo delimitado e separado da Beira Serra Interior pelas Serras da Lousã e Açor. Marcado por uma geografia própria, muito acidentada e por uma dimensão essencialmente micro-regional e local, onde perduram as heranças históricas que definem o tipo de ocupação, o modo de organização do seu território assume uma forte componente rural.
 

Capital do Ceira, por ser a única sede de concelho banhada por este rio, Góis apresenta um imponente enquadramento paisagístico, dominado por altas e majestosas serras. Entre o rio e a montanha resultam as praias fluviais com a pureza das suas águas que proporcionam aos muitos turistas e visitantes irresistíveis e refrescantes banhos. A paisagem do território é ornamentada por povoações de casas brancas e de xisto.


A próxima fase do projecto consiste na criação de um painel de 77 especialistas, representantes das várias áreas científicas e com representatividade geográfica nacional que avalia todas as nomeações e elege 77 candidatos (11 por cada uma das 7 categorias). Esta fase do concurso ficará concluída a 7 de Fevereiro 2010 com a apresentação dos 77 pré-finalistas. Posteriormente um painel de 21 personalidades notáveis do nosso país irá escolher as 21 Maravilhas finalistas, as quais serão apresentadas para votação pública a 7 de Março de 2010.

 


21-01-2010

 

in http://www.cm-gois.pt/

publicado por penedo às 09:59

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2010

O Bodo

 

 
Hoje dia 20, é dia do Mártir São Sebastião e dia de Bodo. O Bodo é uma festa popular e religiosa, da qual não se sabe quando é que começou, somente que é uma cerimónia de vários séculos e que tem passado de geração em geração, até aos nossos dias. Começou a ser feito devido a uma epidemia, em que muita gente morria. Os ancestrais prometeram que se a epidemia acaba-se fariam um Bodo em honra do Mártir São Sebastião todos os anos oferecendo, castanhas, pão e vinho.
 
O Bodo, é uma festa muito importante para a freguesia, porque é feito com a ajuda de todas as povoações da freguesia. Todas as aldeias têm um mordomo, excepto no Cadafaz e Cabreira em que são dois. São nomeados no dia do Bodo para o ano seguinte, assim como o Juiz, que tem a responsabilidade de ver se tudo está a correr bem, de comprar o pão, o vinho e no dia do Bodo de orientar as coisas.
 
Os mordomos têm o dever de angariar as castanhas, o vinho ou dinheiro, antigamente era também o milho, em sua povoação. Depois são entregues aos mordomos do Cadafaz para fazerem secar as castanhas.
 
A preparação do Bodo começa com algum tempo de antecedência. Depois de recolher as castanhas, elas são colocadas num caniço com rede para secarem, por baixo é feito uma fogueira, de manhã e à noite, durante pelo menos 15 dias seguidos, de vez em quando mexe-se as castanhas para não ficarem queimadas e pretas. Quando as castanhas estão secas são colocadas num cesto e são pisadas com as botas. Depois da casca retirada são escolhidas.
 
Na véspera do dia do bodo são cozidas. Antigamente as castanhas eram cozidas em casas das pessoas que se ofereciam ou então os mordomos pediam se as podiam cozer. Eram distribuídas em quartas.
 
Na véspera, à noite, também chega o pão. Antigamente quando ele chegava atiravam foguetes.
 
O dia do Bodo era um dia de festa e de convívio para toda a freguesia, que se juntava no Cadafaz para receberem o Bodo. Juntavam-se também outras pessoas que não pertenciam á freguesia mas que vinham de outras localidades vizinhas.
 
Há mais de 50 anos atrás, as moças novas iam a pé ao Barreiro (Vila Nova do Ceira) comprar laranjas, para venderem nesse dia a 20 tostões cada, também era vendido café, em chávenas de chá a 1 escudo cada, á noite fazia-se um baile.
 
Desde 2002, o Cadafaz tem uma casa do bodo, onde é efectuado todo o ritual. Antigamente era feito em casa dos mordomos.
 
Fotos da casa:


 

 

 

 
Hoje em dia, em virtude das localidades estarem praticamente desertas durante a semana, a festa do Bodo passou a ser feita no primeiro domingo a seguir ao dia 20, o que traz mais pessoas nesse dia.
 
Antes da celebração da missa, o Sr. Padre vai benzer o pão, as castanhas e o vinho. A seguir à missa, é feita a tradicional procissão com o Santo Mártir São Sebastião. Só depois é que é feito a entrega do Bodo, começando a ser entregue uma coisa de cada vez, pelos mordomos e por ajudantes, às pessoas que estão a assistir. As que não podem assistir é lhes entregue mais tarde, em casa delas.
 
No ano em que foi inaugurado a Casa do Bodo, o Juiz desse ano, que era o Casimiro Vicente, ofereceu, febras e sardinhas às pessoas presentes. Desde essa altura tem sido habitual o Juiz também tratar da merenda, o que faz haver mais um motivo de convívio para as pessoas da freguesia e não só.
 
Para este ano de 2010, o Bodo é entregue dia 24, o Juiz é o Senhor Armindo Neves. Os Mordomos para o Cadafaz são os Senhores Albertino Vicente e Luciano Domingos.
 



 

Procissão do dia 20 de Janeiro de 1999, foto de Albertino Vicente
 
 

in

 http://cadafaz-gois.blogspot.com/

tags: ,
publicado por penedo às 17:15

link do post | comentar | favorito
|

Um novo estádio a caminho de Góis

 

 CÂMARA MUNICIPAL DE GÓIS


Se a Casa da Cultura é uma batalha praticamente ganha, Lurdes Castanheira junta-lhe outra, mais recente mas não menos complexa. Trata-se do novo campo relvado sintético de Góis, cuja candidatura foi finalmente aprovada. "É uma excelente notícia", reconhece a autarca, que no passado 14 teve a informação, da parte da Secretaria de Estado do Desporto, depois de um sem número de diligências, que o novo campo está aprovado.
Trata-se, também, de uma candidatura do anterior executivo camarário, que chegou a provocar a indignação geral de Girão Vitorino, uma vez que viu todas as candidaturas aprovadas e os relvados sintético a "crescerem" em toda a região, à excepção de Góis. Parte dos atrasos justificam-se, uma vez que o município reestruturou a sua candidatura e, para além do relvado sintético avançou com um projecto mais envolvente, que envolve também o campo relvado, a remodelação dos balneários e a construção de uma bancada.
"É um projecto com outra abrangência", sublinha Lurdes Castanheira, que, com entusiasmo, diz que "vamos ter um autêntico estádio em Góis".
O projecto agora aprovado no âmbito do Programa Operacional de Valorização do Território, implica um investimento de 998 mil euros, comparticipado a 70 por cento, sendo o restante garantido pelo município.
Lurdes Castanheira quer aplicar ao "estádio" o mesmo princípio de rigor da Casa da Cultura e, por isso, garantiu-nos que vai, na próxima reunião do executiva, a realizar no dia 26, propor o mesmo tipo de diligência, ou seja, remeter o processo ao Tribunal de Contas.

 

publicado por penedo às 16:47

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2010

Gois na BTL

 

 

 

O Município de Gois também esteve presente e ao mais alto nível.

 

 

 

 

Também na assistência a Dra Lurdes Castanheira, Presidente do Município de Gois, acompanhada pela sua comitiva

 

 

 

A actuação da Banda Filarmónica de Gois.

 

 

 

 

in

http://rouxinoldepomares.blogs.sapo.pt/

 

 

 

 

publicado por penedo às 20:26

link do post | comentar | favorito
|

O Município de Arganil na Bolsa de Turismo

 

 

O nosso Município esteve presente na edição deste ano da Bolsa de Turismo de Lisboa, evento que se realizou na FIL, no Parque das Nações, e que é a maior feira de turismo que se realiza no nosso país. Aberta ao publico este sábado e domingo, escolhi este ultimo dia para ir dar uma vista de olhos ao que por lá se oferecia, até porque o apelo das origens fala mais alto, não poderia deixar de ir ver a actuação dos meus amigos de Soito da Ruiva, e vi também que o stand do Município estava apresentável e apelativo, não faltando gente em seu redor, beneficiando de localização logo à entrada do  segundo pavilhão. Gostei do que vi, até porque tenho vindo a "bater"  que a nossa região tem condições excelentes para crescer em termos turisticos. 

 

 

 

Pormenor do stand, com gente amável e eficiente.

 

 

 

Uma imagem geral do local do stand, confirmando-se a afluência de pessoas.

Observava eu o stand e reparei que o painel principal destacava o Piódão, a jóia da "coroa" do nosso concelho; concordo. Mas não pude evitar que me viessse à memória um dos "mimos" que os meus detratores na campanha eleitoral e que ainda hoje me brindam em tom jocoso, que eu queria uma auto estrada de Pomares ao Piódão! Ao ver este stand, deu-me algum gozo, por sentir que estava, e estou certo, de que Pomares poderia e pode ainda beneficiar da promoção do Piódão, melhorando a estrada da nossa freguesia, para que os potenciais turistas transitem por ela e não pelo concelho vizinho. É pena que o poder local em Pomares estimule alguns dos seus apoiantes que têm uma visão tão míope no que concerne ao desenvolvimento da nossa freguesia. É que as estradas para atrair turistas não precisam de ser auto estradas, mas tem que ser mais do que o padeiro precisa para vender pão...

Coitados!!! Um dia hei-de ver mais gente a reivindicar uma estrada mais larga e com condições de circulação de tráfego automóvel com padrões mínimos de segurança...e segundo li algures na imprensa local, já houve vozes no Sobral Magro a ventilar o assunto...

Como diriam os mais antigos: "queira Deus que esteja enganado!..."

 

 

 

Não faltou uma delegação da Confraria do Bucho, que percorreu a BTL promovendo a região e um produto de excelência, emprestando ainda ao local do stand uma "movida" que se fez notar.

 

 

 

A convite do Turismo do Centro e da CM de Arganil, os meus amigos e conterrâneos do Grupo de Danças e Cantares de Soito da Ruiva (Pomares), estiveram presentes com a sua actuação, prejudicada pela actuação simultânea de bombos e filarmónicas a poucos metros de distância. 

 

 

 

Um aspecto da actuação do Grupo de Soito da Ruiva, com a presença no público do Dr. António Cardoso, Vereador da Câmara Municipal de Arganil.

 

 

O Rancho Folclórico dos Povos da Ribeira de Celavisa, o grupo residente da Casa da Comarca de Arganil, actuou logo a seguir ao Grupo de Soito da Ruiva. Um espectáculo para a vista, porque para o som também não tiveram as condições mínimas para actuar.

 

 

Do Rancho da Ribeira de Celavisa, retirei este belo quadro...

 

 

Na assistência e de máquina compacta digital na mão, o conhecido regionalista Sr. António Lopes Machado.  

 

in

http://rouxinoldepomares.blogs.sapo.pt/

 

publicado por penedo às 20:21

link do post | comentar | favorito
|

Balanço da BTL

 

 

 

[turismo do centro.JPG]

 

Turismo do Centro perspectiva ano de recuperação turística

 

O ano de 2010 será, certamente, «melhor» para o turismo na região. Esta é, pelo menos, a convicção do presidente da Turismo Centro de Portugal (TCP), Pedro Machado, que ontem, em jeito de balanço de mais uma edição da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), afirmava que os sinais dados pela presença de visitantes no stand da TCP indicavam um ano de «recuperação» para o turismo, comparativamente a 2008 e 2009.
Desde terça-feira, dia da inauguração da BTL, até ontem, dia de encerramento, passaram pelo stand do Centro de Portugal milhares de pessoas, desde operadores turísticos a escolas (com cursos na área do turismo), passando pelo consumidor final. «A aposta foi ganha», afirmou Pedro Machado, garantindo que o stand chegou mesmo a funcionar como «ponto de encontro» de muitas pessoas, incluindo de outros stands. «As pessoas passavam e repassavam», anotou o responsável do Turismo do Centro.
Reconhecendo a presença de menos stands na BTL, comparativamente com edições anteriores, Pedro Machado garante, contudo, que, no que ao do TCP diz respeito «é a maior representação de sempre, a mais forte e a mais bem conseguida».
Durante os cinco dias do evento, fizeram-se representar no stand 42 municípios que levaram não só o seu material promocional, como um pouco do que é a sua cultura e gastronomia. Dos ovos-moles de Aveiro à chanfana de Poiares, passando pelo mel da Serra da Lousã, pelo leitão da Bairrada, houve de tudo um pouco para degustar em Lisboa. São os sabores e saberes de uma região que prova ser «um destino turístico de grande qualidade e diversidade», afirmava ontem Pedro Machado, enquanto assistia às últimas actuações da região na BTL – as danças e cantares apresentados pelos municípios de Arganil e Góis.
Com uma participação «maciça» dos municípios – 42 dos 57 que integram a TCP – Pedro Machado destacou ainda a adesão de outros parceiros, sejam associações, colectividades ou mesmo produtores. Deu ainda especial destaque à visibilidade que a TCP, através da sua estratégia promocional, deu aos pequenos municípios. Ou seja, tanto a grande cidade de Aveiro como os pequenos concelhos de Góis ou Oleiros tiverem o seu “tempo de antena”. «Uma das vantagens que a Turismo do Centro tem é que, ao contrário de ficar amarrada às barcas mais fortes, dá também atenção aos mais pequenos», explicou Pedro Machado, referindo a sua «estratégia» que passa por «valorizar o que é particular em cada município».

Escrito por Margarida Alvarinhas   
 
in

 

publicado por penedo às 20:10

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010

Penedos de Gois candidato para as 7 Maravilhas Naturais de Portugal

 

   foto de http://luisferreirafotografia.blogspot.com/

323 Candidaturas para as 7 Maravilhas Naturais de Portugal

Selecção vai começar,  e a 7 de Março serão conhecidos os 21 locais que os portugueses podem votar.

Centro do País com mais locais candidatos.

A 11 de Setembro Portugal ficará a conhecer as suas sete maravilhas naturais. 270 locais concorrem a esta distinção, mas como alguns estão em mais do que uma categoria, as candidaturas sobem às 323. O início de uma longa selecção que terminará com o voto dos portugueses quando foram conhecidos os 21 finalistas, o que acontecerá a 7 de Março.

A iniciativa da New 7 Wonders Portugal teve uma adesão de quase 100% das autarquias e o responsável Luís Segadães explica a larga selecção para que “nenhum local importante ficasse de fora” e espera que no final “os portugueses se sintam representados pelas sete maravilhas”.

Para já, uma primeira selecção será feita por um painel de 77 especialistas, que escolherá 77 locais. Depois um outro painel de notáveis escolherá os 21 finalistas, passando então o voto para os portugueses, que o poderão fazer através do site www.7maravilhas.sapo.pt. Os locais vencedores serão apurados de acordo com cada categoria (zonas marinhas, grutas e cavernas, praias e falésias, florestas e matas, grandes relevos, zonas protegidas, zonas aquáticas não marinhas), não podendo haver mais de uma ou duas maravilhas por região.

“Nunca vi uma pátria tão pequena, mas com tanta diversidade”, realçou António Vitorino. O comissário para as 7 Maravilhas Naturais de Portugal admitiu ter ficado impressionado com o número de candidaturas, mas Luís Segadães, responsável pela iniciativa da New 7 Wonders Portugal, até deu um número ainda maior: “Quando fizemos um levantamento inicial, tínhamos mais de 800 locais. Contactámos todas as entidades para garantir que nenhum local relevante ficasse para trás, para que a votação não fosse colocada em causa no final.”

As candidaturas foram 323, separadas por sete categorias: zonas marinhas; grutas e cavernas; praias e falésias; florestas e matas; grandes relevos; zonas protegidas; zonas aquáticas não marinhas. A maior incidência verifica-se na zona centro do País, com 69 candidaturas; seguida do Norte, com 56; e de Lisboa e Vale do Tejo, com 47. A categoria de grandes relevos tem 75 eleitos e praia e falésias, 73.

No ano em que a biodiversidade estará em destaque em todo o mundo, Portugal quer com a eleição das 7 Maravilhas Naturais mostrar a sua diversidade na natureza. “Espero que com esta iniciativa se possa mudar a tendência para a desvalorização da importância do ambiente e que possa haver orgulho no património natural”, referiu Humberto Rosa, secretário de Estado do Ambiente.

Com a eleição dos sete monumentos que passaram a ser as 7 Maravilhas de Portugal, houve um aumento de visitas. A expectativa de que situação idêntica aconteça nos locais que estão agora a concurso é a mesma, mas a preocupação é diferente. “O que estraga é o comportamento e não a quantidade de pessoas que visita os locais. A pensar nessa situação, estamos a construir um código de conduta que será divulgado em Abril”, explicou Luís Segadães.

As escolas serão envolvidas na iniciativa, num molde que está a ser estudado, mas para já o apoio são de parceiros como GEOTA, Quercus, Liga para a Protecção da Natureza, Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, National Geographic e do Ministério do Ambiente. Luís Segadães deseja que no final “os portugueses se sintam representados pelas 7 Maravilhas”.

 

Os portugueses poderão votar no site       www.7maravilhas.sapo.pt

quando a 7 de Março forem escolhidos os 21 locais finalistas. A 11 de Setembro, os vencedores serão anunciados na lagoa das Sete Cidades, em São Miguel, nos Açores.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 Para  consulta visite o site   http://www.7maravilhas.sapo.pt/

 

Clique em: 

             1 - Nomeados

             2 -  Região

             3 - Centro

             4 - Coimbra

             5 - Gois

             6 - Penedos de Gois

 

  ou então em:

 

                1 -  Categoria

                2  - Grandes Relevos

                3  -  Penedos de Gois

 

 

publicado por penedo às 09:06

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010

Penedos de Góis e Vale do Ceira entre os nomeados

7 MARAVILHAS NATURAIS

 

Penedos de Góis e Vale do Ceira entre os nomeados

O Vale do Ceira e os Penedos de Góis foram os monumentos naturais escolhidos pelo município para uma candidatura às “7 Maravilhas Naturais de Portugal”. Uma escolha feita em boa hora, uma vez que estes dois ex-libris “passaram” a primeira fase de candidatura.

Satisfeita com esta “aceitação”, a presidente da Câmara de Góis sublinha o objectivo primordial da candidatura, ou seja, «promover o concelho de Góis e as suas potencialidades naturais». Lurdes Castanheira refere a grande riqueza, em termos naturais do concelho, «bafejado pela mãe-natureza», mas destaca em especial o Vale do Ceira e os Penedos de Góis. «Tivemos de fazer uma escolha e recaiu sobre estas duas “maravilhas”», adianta.

Sem esconder o seu «orgulho por termos passado a primeira fase», particularmente tendo em linha de conta «que concorremos com mais de 300 candidaturas de todo o território nacional», Lurdes Castanheira afirma a sua vontade de continuar na “corrida” e de, no próximo mês de Fevereiro, passar a integrar os 77 candidatos seleccionados. Todavia, reconhece que o desafio é enorme, «mas não impossível», uma vez que «já passámos pelo primeiro crivo».

Lurdes Castanheira faz questão, de resto, de sublinhar o envolvimento que esta candidatura gerou, dentro e fora de portas da Câmara, contando com a colaboração muito próxima de um «conjunto de pessoas que conhecem muito bem o nosso património natural». Destaque especial merecem-lhe Filipe Carvalho, adjunto da presidência da autarquia, bem como de Paulo Silva, da empresa Transserrano.

Independentemente do desfecho que o concurso para a eleição das 7 Maravilhas Naturais de Portugal possa ter no que se refere à candidatura dos Penedos de Góis e do Vale do Ceira, Lurdes Castanheira quer firmar e dar a conhecer este património único. Recorda, a propósito, que um dos seus objectivos, ainda enquanto candidata à Câmara de Góis, foi efectivamente a candidatura destes ex-libris «a património nacional ou ao nível da Unesco», uma vez que «é um património único, ao qual ainda não foi ainda atribuído o valor que merece nem reconhecida a sua imensa riqueza».

Significa pois, de acordo com a autarca, que este concurso se “encaixou” perfeitamente naquilo que são os objectivos da Câmara de Góis, apresentando--se como que uma primeira fase ou uma experiência pioneira para “voos mais altos” que Lurdes Castanheira está empenhada em empreender, no sentido de obter o justo reconhecimento deste património.

Apesar de reconhecer a «pouca projecção» que o concelho de Góis possa ter a nível nacional, Lurdes Castanheira acredita que todo o território vai estar, em termos de concurso, em igualdade de circunstâncias com todos os outros e assume que «gostaríamos muito que uma das nossa candidaturas fosse eleita como uma das 7 Maravilhas de Portugal». Mas «se isso não acontecer, vamos avançar com outras processos de candidatura», adianta, garantindo que «não vamos deixar passar em branco qualquer oportunidade». Com a garra que lhe é característica, Lurdes Castanheira afirma que «temos de ser ambiciosos, sem ambição não há desenvolvimento».

Referências ímpares

A presidente da Câmara de Góis refere ainda, a propósito dos Penedos de Góis, o facto de se tratar de um «monumento sem qualquer intervenção humana», que, de resto, tem sido preservado da proximidade de torres eólicas. Trata-se, defende, de «um dos mais soberbos miradouros naturais da região Centro», que no seu ponto mais alto atinge uma cota de 1.043 metros de altitude. Aponta ainda a riqueza que rodeia este afloramento quartzítico do período do Ordovício, quer em termos de flora, quer de fauna, características da Serra da Lousã, que integra a Rede Natura 2000. Faz ainda notar que se trata de um monumento que, pelas suas especificidades em termos geomorfológicos, tem atraído investigadores de várias universidades.

Relativamente ao Vale do Ceira, Lurdes Castanheira refere que em causa está um «vale encantado», que retrata uma «paisagem idílica», repleta de elementos de grande riqueza e biodiversidade, cujas águas cristalinas são uma «referência ímpar». Uma zona onde o «homem sempre viveu em total harmonia com a natureza» e que constitui, adianta, «um valor histórico, cultural e etnográfico das gentes que aqui se estabeleceram, abraçando o modo de vida dos seus antepassados, vivendo em consonância com a natureza e dela subsistindo».

.
Manuela Ventura
in Diário de Coimbra de 13/01/2010
publicado por penedo às 09:17

link do post | comentar | favorito
|

Disposições dos Penedos de Góis



 

 

-
 

 

 

 

Aqui estão os 323 nomeados às 7 Maravilhas Naturais de Portugal. Os meus Penedos de Góis na Região Centro, Góis, estão lá incluídos. Estou muito satisfeita só pela simples nomeação. Não sei quem propõe, talvez as autarquias ... Afinal, num belo e pequeno País como é o nosso, existem imensas regiões naturalmente belas. Eu própria tenho algumas bem guardadas como autênticos paraísos. Mas os meus Penedos, são outra coisa. É uma coisa que está no âmago do meu ser. Pertencem-me por transmissão nos genes. Antepassados meus olharam-nos com outros olhos que não os meus, olhar de descanso e plenitude. Eles guardaram olhares de muito cansaço, de muito esgravatar a terra de pouca terra e muito calhau, de orientação à noitinha no caminho para casa. Ao longe, quando os vejo espreitar, sei que não me perderia e estou perto de casa.
 
Por um lado espero que obtenham um lugar de relevo, porque são pouco conhecidos. Por outro lado, não me faz diferença que não sejam descobertos por muitos olhares. Porque a seguir vem a contaminação visual. Não sabemos preservar.

 

in

http://coisas-de-tia.blogspot.com/

 

publicado por penedo às 09:00

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 13 de Janeiro de 2010

A volta dos Penedos...Cerdeira

Faleceu e vai descer à terra, amanhã, ( 17 jan ) em Góis, o Ti Alberto Bandeira, nascido há quase 89 anos na Cerdeira. Foi marido da senhora professora primária que leccionou toda a sua vida na Escola Primária da Cerdeira de Góis e já falecida, também, há muitos anos.
O Ti Alberto será sempre uma referência na minha vida. Dono de uma mercearia e de uma taberna, ligadas por um corredor interior, era lá que em férias nos abastecíamos de mercearia. Também era o único sítio a ter telefone, daqueles com caixa acoplada onde se encaixava uma moeda de cinco tostões e se podia falar durante algum tempo. Ficou-me o cheiro do açúcar amarelo no reservatório com tampa em madeira, da cor dos rebuçados nos frascos a dois 1 tostão, dos pacotes de bolacha Maria e de bolacha torrada, do azeite ao litro, das carcaças e ao lado, do vinho tinto a copo ao balcão ou ao litro, das gasosas e das laranjadas, do bocadito de presunto ou das sardinhas fritas em cima do balcão para os homens petiscarem, da serradura espalhada pelo chão depois de varrido, sei lá que mais poderei ir buscar à minha memória para retratar os momentos vividos na ida ao Ti Alberto durante tantos anos, em férias. Também se jogava à sueca. Cá fora no pátio em terra, os homens jogavam à malha e conversavam. Houve uns anos, que o Ti Alberto se aventurou a assar frangos, mediante encomenda. Que belos frangos nós petiscamos e que belos tempos esses, meu amigo ido.
Há mais de 20 anos, que o Ti Alberto foi visita da nossa casa, no tempo do senhor meu Pai. Era uma pessoa respeitadora que gostava de brincar e também muito prestável. Depois de enviuvar, já não passava tanto tempo na sua taberna, não havia freguesia e sentia-se só. De vez em quando aparecia. Descia ao fundo do lugar e fazia gosto em levar-nos uma travessa de ameixas, roxas e amarelas, grandes, doces, sumarentas, que ele cuidava no seu quintal. Foi convidado a almoçar connosco algumas vezes e até a participar nas nossas festas de aniversários. Sabia fazer de tudo. E dava uma mão, mesmo sem lhe pedirem. O senhor meu Pai foi algumas vezes agraciado com a ajuda dele, solidária e de alguma sabedoria, na construção de um muro, numa caiadela de outro, no enxertos das videiras ... O senhor meu Pai que foi marujo de profissão e na sua reforma quis lançar-se noutras lides diferentes, bem vindas foram as outras mãos sabedoras de outras artes, como as mãos do Ti Alberto.
Vou ficar com muito boas recordações deste senhor nascido na Cerdeira de Góis. Fica a saudade. Os nossos pêsames Julinha, estendíveis a tua irmã e restante Família.

Até sempre.

in

http://coisas-de-tia.blogspot.com/

 

publicado por penedo às 20:45

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 12 de Janeiro de 2010

À Volta dos Penedos .... Colmeal...e "LIMPA-NEVES "

LIMPA-NEVES

 
 










Nevou ontem e durante a noite uma nevezita soprada a vento que não chegou a produzir imagens de especial beleza. Mas que produziu consequências desastrosas, como impedir a ida à escola, ao trabalho ou a tratamento.
Solidariamente, porque se preocupou com a possível urgência de uma carta, o carteiro veio, mas teve de ser resgatado, depois de ele próprio ter resgatado o carro, que descia a rua por conta própria! Aí, as pessoas decidiram agir, e constituíram-se em equipa limpa-neves! Num feliz encontro de gerações, eram velhos e novos irmanados no objectivo comum de limpar a neve, antes que gelasse mais, e continuasse ali a impedir a circulação. As ferramentas eram as mais diversas, e até havia quem andasse de botas vermelhas de biqueira!Bonito de ver!

Lisete de Matos
Açor, Colmeal, 11 de Jan. de 2009

 

 

 

in

http://upfc-colmeal-gois.blogspot.com/

 

tags: ,
publicado por penedo às 19:20

link do post | comentar | favorito
|

À Volta dos Penedos ....Cortes e....

Tradição - Janeiras + Neve

 

No passado dia 9 houve  festa na Casa de Cultura e Recreio Claudino Alves de Almeida

com o encerramento das Janeiras.

De salientar que na segunda feira anterior tinham sido cantadas as Janeiras de porta em porta e tinha sido celebrada uma missa por alma do Carlos Barata.

Entretanto esta segunda feira a nossa região foi "presenteada" com o espetáculo

que segue... Juro que não são montagem...

 

As fotos foram tiradas pelo presidente da Assembleia de Freguesia de Alvares,

Sr Joaquim F Mateus que gentilmente as cedeu para publicação.

 

                                                                                          João Reis Antao


in

http://cmcortes.blogs.sapo.pt/

 

 

tags: ,
publicado por penedo às 19:13

link do post | comentar | favorito
|

Neve em Góis

 

 

Neve

                                      Serra do Rabadão


 

Pena_Neve

                                                  Aldeia da Pena


 

caminho_neve

                                        Cimo das Aigras


 

Penedos_neve

                                    Penedos de Góis

 

in

http://www.cm-gois.pt/

 

tags:
publicado por penedo às 18:43

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Neve no Esporão

SIC noticias

 
 imagens da aldeia do Esporão , veja aqui a reportagem:

 

 

tags: ,
publicado por penedo às 18:20

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 8 de Janeiro de 2010

Rio Ceira

 

 

Rio Ceira em Góis - 01/01/02010

 

 

in

http://picasaweb.google.com/acacio

 

tags:
publicado por penedo às 21:13

link do post | comentar | favorito
|

Amieiros e Cabeçadas .... 66º Aniversário

 

 

A Comissão de Melhoramentos está à beira de comemorar o 66º. Aniversário e os actuais corpos gerentes terminaram o seu mandato a 31 de Dezembro. Estamos em época de balanço, preparando a festa e simultaneamente abrindo o caminho para o futuro.
 

 

No dia 24 de Janeiro de 2010, no Restaurante Chimarrão - Montes Claros - Monsanto, vamos ter o almoço de comemoração do 66º. Aniversário da Comissão, integrado no

plano de actividades do ano de 2010. Apelamos a todos para participarem.

A ementa "espeto corrido para grupos" consta de vários tipos de carne grelhada, acompanhamentos variados, buffet de sobremesas, bebidas variadas e café.

Temos a experiência da qualidade destes almoços.

Solicitamos que façam a inscrição junto de qualquer elemento dos corpos sociais,

até ao dia 20 de Janeiro. Desejamos a todos uns feliz 2010.


Pela Direcção,

JOSÉ CARLOS BARATA FERNANDES

publicado por penedo às 09:58

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2010

Presidente da C.M. de Góis eleita para o Conselho Geral da ANMP


 

A cidade de Viseu acolheu durante os dias 4 e 5 de Dezembro, o XVIII Congresso da ANMP – Associação Nacional de Municípios Portugueses, sob a temática “Investir nas pessoas – Desenvolver Portugal”.

 


 

O Município de Góis fez-se representar pela Sra. Dra. Maria de Lurdes Castanheira, Sr. Jaime Garcia e Sr. Jorge Reis, nas qualidades de Presidente da Câmara, representante da Assembleia Municipal e Junta de Freguesia de Góis, respectivamente.


Durante o Congresso foram votados os novos representantes do Conselho Geral da ANMP, que é o seu Órgão deliberativo, com competências para, entre outras, aprovar anualmente o relatório de actividades e contas apresentadas pelo Conselho Directivo; Criar comissões especializadas permanentes ou eventuais, estabelecer a sua composição e fixar a sua competência, sob proposta do Conselho Directivo, da Mesa ou dos membros do Conselho Geral; pronunciar-se sobre quaisquer assuntos relevantes para a consolidação e o desenvolvimento do Poder Local, da descentralização administrativa e da autonomia da administração autárquica, nos termos da Constituição.

 

PresidentedaCâmara


O Município de Góis congratula-se com a eleição da Presidente da Câmara Municipal de Góis, Dra. Lurdes Castanheira, como membro efectivo do referido órgão, sendo a primeira vez, em mais de 35 anos de democracia, que um representante da Câmara Municipal de Góis ocupa tão honrosa função, assumindo um reconhecimento não só para Góis como também para a Beira Serra.

 


19-12-2009

in

http://www.cm-gois.pt/

publicado por penedo às 20:35

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 4 de Janeiro de 2010

À Volta dos Penedos.....UM PASSEIO AO PASSADO

 

 

EQUIPA DE FUTEBOL DE CERDEIRA DE GÓIS ANOS 7O

 



Em cima: Carlitos da Alda, Manuel da Ivone, Jaime, Ivo, Abílio Neves, ...........?.............?, Manuel da Tilda e Horácio da Aida.
Em baixo: Amorim da Marília, Zé Carlos Canoa, Marido da Guidinha Pinto, Américo da Bia, Fernando , Sérgio e Carlos

**************


ANO DE 1956



1 Suzete 2 Laurinda 3 Bisa-avó da Guidinha Pinto 4 Augusta da Quinta 5 Maria Helena 6 América
7 Tilda 8 Aurora 9 Alda 10 Guidinha Pinto 11Celeste 12 Augusta 13 Casimiro
14 Filipe 15 Carminda 16 Teresinha 17 Natália 18 Maria Helena


 
Agradecimento á Guidinha Pinto pela cedencia das fotos. Obrigado
Posted by Picasa
 
tags:
publicado por penedo às 15:34

link do post | comentar | favorito
|

Salamandra

 in

http://luisferreira blogspot.com/

 

publicado por penedo às 15:25

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 2 de Janeiro de 2010

À Volta dos Penedos -A Pedra Letreira

 

 
 


“Quem, no concelho de Góis, tomar a estrada nacional n.º 2, de Chaves a Faro, e ao km 290,85, na Portela do Vento, onde se forma o desvio para Castelo Branco (estrada n.º 112), meter pelo caminho carreteiro que das traseiras da Casa dos Cantoneiros segue, rumo a sudoeste, pelo viso do monte da Fonte Fria, não tem mais do que, à terceira barroca ou linha de água, cortar monte abaixo pela vertente voltada a noroeste para, andada uma centena de passos, avistar ao fundo, à esquerda do leito do talvegue, uma espécie de plataforma debruçada, a meia encosta, para o amplo anfiteatro de montanhas que se lhe abre em frente: é a Pedra Letreira.

Trata-se de um afloramento de xisto ante-câmbrico, de estratificação vertical correndo de Sudoeste a Noroeste, em cuja superfície, horizontalmente aplanada, há uma série de figuras gravadas e tidas, pela gente das imediações, por estranhos caracteres de enigmático letreiro, obra de mouros que teriam ali deixado apontamento dos seus legendários tesouros encantados ou das suas fabulosas riquezas escondidas por aqueles sítios.
 


Em frente à Pedra Letreira
há três minas em carreira:
uma de ouro, outra de prata
e outra de peste que mata!


É que não há tradição sem lenda, como não há ruína sem hera. Ela é como um penhor da sua antiguidade, por vezes tão remota que se lhe perde o sentido. Foi o que se deu com o nosso monumento.

No panorama circundante, não constitui a Pedra Letreira um documento que digamos único da presença do homem por aquelas paragens em tempos mais ou menos recuados.

Em frente, na linha do poente, lá estão as minas romanas da Escádia, em cujos nichos dos hastiais, abertos a 1,20m acima do solo e distanciados cerca de 2m uns dos outros, ainda se encontravam, quando há anos se procedeu ao desentulhamento das respectivas galerias, algumas lucernas…

Mais adiante, na mesma direcção, mas já dobrada a encosta, há o lugar dos Povorais com as suas minas antigas de que procedem dois picões de ferro, de época romana, depositados no Museu dos Serviços Geológicos de Portugal, em Lisboa…

Cara ao norte, no Alto das Cabeçadas, temos os poços romanos, de exploração mineira, conhecidos pelas Covas dos Ladrões…

E mais para além, vencida a serra da Folgosa e ultrapassado o Rabadão, não podemos deixar de referir as minas pré-históricas da Eira dos Mouros, na encosta da Devouga, ao Liboreiro, com materiais de feição eneolítica e demais períodos do Bronze.
Estes e outros vestígios do passado, ainda mal conhecidos, são indícios para já suficientemente reveladores de uma longa e activa permanência humana por aquelas redondezas, motivada ao que parece pela sua relativa abundância de minérios, o ouro e o estanho sobretudo. São como anéis desarticulados e dispersos de imaginária cadeia forjada, na bigorna dos séculos, por gerações atrás de gerações. Pobres restos materiais, aparentemente sem valor, que encerram no entanto a alma e a mentalidade dos povos que ali se sucederam e os deixaram, é através deles que teremos de refazer e articular de novo os elos da cadeia, se quisermos vir a ter um pálido vislumbre da sua trajectória pela penumbra dos milénios. Em tal sentido, não é a Pedra Letreira senão um de entre tantos. Procurando atribuir-lhe o lugar que lhe pertence, intentamos mais que nada preencher uma das muitas lacunas da Pré-história local.”
 

 






 
 
 
Limitámo-nos a transcrever e a mostrar um pouco do que poderá encontrar nesta preciosa obra editada em 1959, primeiro volume das “Memórias Arqueológicas do Concelho de Góis – A Pedra Letreira”, num excelente trabalho conjunto de João de Castro Nunes, A. Nunes Pereira e A. Melão Barros.
Composto e impresso na Tipografia de A Comarca de Arganil, é de fácil leitura e poderá encontrá-lo na Biblioteca da União, no Colmeal.

A. Domingos Santos
 
 

 

publicado por penedo às 00:01

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. III Noite Solidária-C.C.G...

. Trajecto do Elèctrico  28

. Comendadores de Góis

. Comendadores de Góis em L...

. Comendadores de Góis

. GASTRONOMIA E AS GAMELINH...

. ...

. ll jantar solidário em Gó...

. CASA do CONCELHO de GÓIS ...

. Esporão

.links

.arquivos

. Setembro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO