Terça-feira, 20 de Setembro de 2011

ESPORÃO

Comissão de Melhoramentos do Esporão

 

Site.

 

  http://www.esporao.net/comissao

 

 

 

COMISSÃO DE MELHORAMENTOS DO ESPORÃO

 

 

publicado por penedo às 00:32

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 19 de Setembro de 2011

PASSEIO AOS PENEDOS

filme publicado no YouTube por MrChaimite
publicado por penedo às 00:25

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 6 de Setembro de 2011

Encontro de Poesia Popular na Pena

Encontro de Poesia Popular na Pena

 

 

É na Aldeia do Xisto de Pena, Góis, que dia 10 de Setembro tem lugar mais um Encontro de Poesia Popular,

 

sob o tema "As Condições Climatéricas".

Além da poesia e do convívio, há sempre espaço para a animação. Participe neste momento de convívio, no qual se partilham experiências

 

 e vivências do passado e presente destas terras e destas gentes.

Os Encontros de Poesia Popular têm lugar nas várias Aldeias do Xisto de Góis, e tem como objectivo principal, exortar a população local

 

 e outros à participação e partilha de saberes.


Programa:

15h – Sessão de Abertura. Segue-se o Workshop da Broa Serrana: Peneirar, Amassar, Tender.

Momentos de Poesia com

                                        Adriano Pacheco,

                                        

                                        Clarisse Sanches

                                     

                                        e Eugénia Santa Cruz.


 

Visionamento da curta documental: Coração do Xisto.

Lanche convívio com a broa serrana feita pelos participantes.

18h – Encerramento do IV Encontro de Poesia.

 

 

 

 

Cartaz_Poesia Popular na Pena - 10 Set. 2011 (PDF)

 

Organização

publicado por penedo às 16:40

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 5 de Setembro de 2011

ALVARES EM FESTA

 

           BrasãoAlvares                                

   

 

 

Adriano Pacheco

 

Vinham de todos os lugares e lugarejos, por montes caminhos e veredas, carregados com farnéis mais ou menos abastecidos e o seu próprio garrafão, não fosse o vinho faltar. Vinham venerar o seu santo padroeiro, ouvindo a missa solene, escutando os sons da filarmónica e o estourar dos foguetes que tanto incómodo dava! Vinham estrear a blusa de chita, o xaile de merino, os sapatos novos e a camisa branca. Mas vinham tão felizes que não havia pó que lhes caísse em cima, nem brilho que lhes faltasse nos olhos. Era dia de festa e do farnel com cabrito ou borrego assados. Eram assim as festas em Alvares.

 

Hoje, salvaguardando alguns pormenores, tudo é muito é diferente, não sabemos se para melhor. Desta feita tivemos a Filarmónica Arganilense bem afinadinha com muitos jovens, uns tantos conjuntos distribuídos por sábado, domingo e segunda-feira e a visita dos alvarenses que nestas datas costumam vir matar saudades por dois ou três dias e voltam a correr. Que pena não se lembrarem deste pedaço de terra que precisa deles! Mas pronto é o que se pode arranjar face à crise que se impõe por aí. Apesar de tudo não foi nada mau, pode ser que para o ano que vem seja melhor.

 

Com o decorrer dos tempos os hábitos tradicionais foram-se alterando: acabou-se a sopa de grão-de-bico, o arroz picado de fressura, o bucho recheado e consequentemente a rês que dava tanto jeito para se poder cozinhar tudo isto, tal como os maranhos que outros lhe tomaram o gosto e fizeram publicidade. Que saudades! A crise também veio atrapalhar a missão dos mordomos que fizeram um orçamento baixo, mas mesmo assim ainda tiveram de recorrer ao velho leilão e à ronda. É bom que nos vamos habituando às festas feitas à nossa medida, quero dizer, dentro das nossas parcas possibilidades, nada de esbanjamento. Os tempos assim obrigam

 

Era inevitável que para se fazer a festa e a festança, os mordomos tinham de recorrer à imaginação para poderem adaptar o espaço habitual às reais necessidades, improvisando cozinha aqui, churrasqueira ali e muita boa vontade, pese embora o apoio logístico facultado pela Câmara Municipal, já que o “velho palanque foi à vida” uma vez que já não oferecia condições de segurança. Apesar disso, a piscina - sempre grandiosa e colorida – deixava no ar uma sensação de frescura e bem-estar a todos os títulos necessários, pena foi não acautelarem a invasão das águas nalguns quintais circundantes. Situação perfeitamente evitável. Enfim!...

 

De resto, toda a Vila de Alvares rejubilou com os alvarenses que regressam todos os anos em dias de festa. Rejubilou com a vista esplendorosa desta terra bem apetrechada de equipamentos sociais, nomeadamente com o quartel novo dos bombeiros, pólo escolar e iluminação apropriada. Rejubilou com a procissão e os seus santos em andores ornamentados. Rejubilou com a harmonia dos sons da Filarmónica Arganilense.

 

Deste modo a Comissão de Festas – composta por muitos jovens - está de parabéns por ter proporcionado tanto, com tão parcos recursos. Só quem já enfrentou uma situação destas, com tão poucos recursos, saberá quanto custa organizar uma festa anual para bem de todos alvarenses e da carolice de alguns. Mas pronto, a tradição cumpriu-se já não é nada mau.

Que mais se pode exigir nos tempos que atravessamos?

 

 

 

publicado por penedo às 23:30

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Trajecto do Elèctrico  28

. Comendadores de Góis

. Comendadores de Góis em L...

. Comendadores de Góis

. GASTRONOMIA E AS GAMELINH...

. ...

. ll jantar solidário em Gó...

. CASA do CONCELHO de GÓIS ...

. Esporão

. II Noite Musical Solidár...

.links

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO