Sábado, 19 de Outubro de 2013

UMA FREGUESIA DE ILHAS

Adriano Pacheco

 

Tal como o nosso espaço serrano, tal como as nossas aldeias isoladas, tal como o nosso entendimento, a freguesia de Alvares apresenta-se sempre fragmentada. Reage e comporta-se como um arquipélago de ilhas dispersas sem qualquer ligação entre si. Somos um povo desunido sem qualquer afinidade nem força de conjunto e por isso sem qualquer peso político, nem associativo, a nível concelhio. Pesa muito mais cada aldeia de per si, do que vale a freguesia no seu conjunto. A serra fez de nós “bichos” recolhidos cada um em sua toca que só de vez em quando nos encontramos! Razões históricas alimentaram tal mentalidade que nos conduziu a este estado de coisas!… Hoje isto não é admissível!

Ainda que mal comparado, foram bem notadas as opiniões exacerbadas na recente campanha eleitoral, onde foram mais destacadas as rivalidades exageradas entre aldeias, com destaque para o realce do positivo e do negativo em mandatos anteriores, do que a diferença de ideias alternativas apresentadas pelos próprios candidatos, o que em termos gerais (ignorando o bairrismo) não se compreende nem fará muito sentido. Não temos noção nem entendimento como força de conjunto da nossa região. Falta-nos a floresta desenvolvida como grande potencial agregador. Somos um povo pobre e desavindo, para cúmulo da desgraça.

Bem sabemos que, nas campanhas eleitorais para as autarquias, os ânimos atingem o máximo da sua vibração em redor do seu partido/candidato o que é perfeitamente normal dada a disputa em causa, o que já não é normal são as reações empoladas por um bairrismo exacerbado que favorece apoio a um ou outro candidato, servindo-se este do estado d’alma particular destas gentes. As expressões veiculadas pelas redes sociais atingiram níveis pouco dignificantes por parte de quem as exprimiu, numa tentativa de apoiarem o candidato A ou B. Desta forma, alimentado este divisionismo pelos fazedores de opinião, nunca iremos a lado nenhum, nem nunca teremos qualquer peso político nem força regionalista.

Não estamos, com isto, a sugerir uma organização de cúpula para o movimento regionalista, isso seria reduzir-lhe o seu dinamismo que ele próprio alimenta. Mas seria salutar que os seus dirigentes tivessem uma atitude e visão de conjunto, promovendo eventos, ora numa aldeia, ora na outra, consoante suas aptidões e características de cada uma, dando sequência ao espírito das “Jornadas Culturais”. Aliás as três maiores aldeias da freguesia vão consolidando as caraterísticas que as distingue, interessa agora promover outras para potenciarem o regionalismo. Somos muito poucos para vivermos isolados, ignorando-nos uns aos outros. Longe vão os tempos em que as aldeias eram auto suficientes em termos de eventos, podendo tomar em suas mãos as suas próprias iniciativas.

A riqueza que nos é presenteada pela Serra e pela Floresta, deveria ser aproveitada para proveito da região e não para nos desunir.

 

 

publicado por penedo às 18:08

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 14 de Outubro de 2013

FEIRA DOS SANTOS -GÓIS - 2 NOV

publicado por penedo às 22:33

link do post | comentar | favorito
|

sky road

publicado por penedo às 02:20

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 9 de Outubro de 2013

À Volta dos Penedos...Sky Road em Góis

                             Sabado

Esporão   8h 36 

 

                com  vista dos Penedos de Góis   8 H 45

                                                                              Cabeçadas         8h 51

 

 

 

 

publicado por penedo às 10:47

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 1 de Outubro de 2013

Dia Mundial da Musica ,CCG 5 Out

folheto_acessibilidade_2.jpg

 

publicado por penedo às 11:43

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. III Noite Solidária-C.C.G...

. Trajecto do Elèctrico  28

. Comendadores de Góis

. Comendadores de Góis em L...

. Comendadores de Góis

. GASTRONOMIA E AS GAMELINH...

. ...

. ll jantar solidário em Gó...

. CASA do CONCELHO de GÓIS ...

. Esporão

.links

.arquivos

. Setembro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO