Sábado, 21 de Dezembro de 2013

Faleceu o Padre Dinis

Por Miradouro de Vila Cova 

 

 

A doença afastou-o das tarefas normais da paróquia de Coja, ainda que mantivesse a sua disponibilidade para o ministério da Igreja, embora a um ritmo moderado. Foi assim que ainda em Março deste ano esteve em Vila Cova a oficiar as cerimónias do domingo da Bênção dos Ramos.

Faleceu hoje, depois de uma vida consagrada às funções sacerdotais, parte delas exercida na Paróquia de Coja.

Deixa muitas saudades, até pela dedicação a obras sociais, sendo muito importante o seu empenhamento na construção do atual Lar de Coja.

O funeral realiza-se segunda-feira, a partir das onze horas, desde a Igreja de Coja até a um cemitério de localidade do concelho de Tábua.

Antes, com início às nove e trinta, realizam-se cerimónias exequiais na Igreja Matriz de Coja.

publicado por penedo às 23:03

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 7 de Dezembro de 2013

Casa da Fonte

Casa de Campo - Turismo em Espaço Rural


Situada em Povorais , aldeia mais alta da freguesia de Góis. Casa centenária de dois pisos, mantendo a traça original.

Construída em pedra de xisto, típica da região. Tectos e chão em madeira no andar superior, com três quartos.

No piso inferior localiza-se a casa de banho, cozinha, e sala com lareira rebaixada, e chão em loisas.
Povorais é uma aldeia do concelho de Góis, intercalada entre os Penedos de Góis e a Serra da Lousã.

Rodeada  de montes e paisagens serranas de grande beleza que são um convite à tranquilidade e à sua descoberta em passeios pedestres.


 http://casadafonte.webnode.com


facebook.com/casadafontepovorais

publicado por penedo às 22:02

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 2 de Dezembro de 2013

FOGOS DE INVERNO

Adriano Pacheco

 

Em tempos, já aqui abordarmos o tema da floresta como sendo a riqueza mais apetecível da nossa região, podendo tomar hoje dimensão apreciável no desenvolvimento rural nos seus diversos aspetos: na criação de postos de trabalho com ocupação sazonal de vários trabalhadores, produzindo produtos para transformação em sectores da indústria e outros em condições de entrarem na vasta rede comercial do nosso mercado.

 

Por outro lado, a floresta apresenta-se como o elo de ligação natural entre todas as aldeias. Cresce e multiplica-se por todo o lado, alastra por todos os vales e montes, estende-se pelo espaço que os olhos podem alcançar e circunda toda e qualquer aldeia serrana, com os perigos que daí podem advir. É uma mancha verde que dá cobertura ao território serrano de forma selvagem, no sentido desordenado, como que a sua existência não merecesse qualquer cuidado nem preocupação, uma vez que ela cresce de forma espontânea e sem qualquer trabalho nem custo. Este é o entendimento dominante de qualquer cidadão proprietário ou não, estendendo-se às entidades e autoridades do sector.

 

Este velho conceito, atualmente não tem qualquer cabimento, não só pelo peso que a floresta pode vir a desempenhar na economia e no desenvolvimento locais, como pela purificação da atmosfera e deleite dos nossos olhos, como também pelo detonador e rastilho de uma desgraça que pode vir mais uma vez acontecer. O verão passado mostrou-nos bem como toda a região pode estar à mercê da ameaça da chama de um fósforo e duma “vergastada” de vento para que toda a serra fique reduzida a cinzas bem como algumas aldeias que por ali se encontram disseminadas. Não podemos, nem devemos, estar sempre dependentes da abnegação dos bombeiros nem de lhes pedir o sacrifício das suas vidas! Os bombeiros são o recurso humano mais apto num momento de emergência, mas não são os salvadores da “Pátria”!

 

Pelo que nos foi possível observar, de então para cá nada foi alterado, prevenção nenhuma foi posta em marcha no que ao combate aos incêndios diz respeito. Sendo assim que podemos esperar para o próximo verão? Que mais bombeiros morram queimados? Que mais aldeias e idosos vivam momentos de aflição? A prevenção contra os incêndios faz-se no outono e na primavera. É nestas estações do ano que gostaríamos de ver os técnicos das florestas em ação, delineando aceiros, roteando acessos, delimitando áreas de mais fácil combustão. Não sabemos qual o departamento da Secretaria de Estado das Floretas, ou da Proteção Civil superintende neste espaço, mas sabemos que, não é no verão quando a massa inflamável está no auge, se programa a proteção contra os incêndios com melhor eficácia.

Da parte do povo anónimo que se pode pedir? Que estejam atentos e protejam os seus bens? Que velem pelos melhores acessos às suas propriedades? Não é possível pedir-se isto a uma população idosa posta no seu cantinho passando os últimos dias das suas vidas. As coletividades sim, essas podem ter um papel ativo formando um núcleo de pressão junto das autoridades competentes para que algo seja feito em favor da prevenção da floresta.

 

 

 

 

 

publicado por penedo às 20:55

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Trajecto do Elèctrico  28

. Comendadores de Góis

. Comendadores de Góis em L...

. Comendadores de Góis

. GASTRONOMIA E AS GAMELINH...

. ...

. ll jantar solidário em Gó...

. CASA do CONCELHO de GÓIS ...

. Esporão

. II Noite Musical Solidár...

.links

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO