Terça-feira, 24 de Novembro de 2015

O Carvão e os Fogareiros - lançamento do livro em Lisboa

 

Quem nunca ouviu um “Deves ser fogareiro!!” gritado indignadamente na estrada? Pois é, todos nós. E quem sabe de onde vem essa expressão? Agora já somos menos a ter explicações, certo? Descobri ontem que poderá vir da altura em que escasseou o combustível e os carros de praça funcionavam a gasogénio com grande fumarada negra e faúlhas quando aceleravam. Nunca tal tinha ouvido, apesar de me poder gabar da minha conta de histórias ouvidas à lareira, noite dentro.

Adriano Pacheco é um contador de histórias nascido em Alvares. Em prosa ou em verso, dedica-se a gravar as tradições e viveres serranos no tempo e na memória. O seu 16º livro divide-se em sete contos correspondentes a momentos de uma vida igual a tantas outras. Essas vidas que conhecemos e que talvez não nos tenham merecido mais que um par de tardes debaixo da latada, por vezes até à noite dum velório, em conversas sopradas de mulheres à beira do caixão, ou afirmações absolutas de homens fora de portas sagradas. Às vezes já sem tempo de serem comentadas com quem as partilhou, tardias, mas ainda tão a tempo de não se perderem.

 

O Presidente do Concelho Regional, Dr. Luís Martins referiu o seu orgulho pela preferência do autor pela Casa do Concelho de Góis para o lançamento do seu livro em Lisboa, pelo valor da sua obra e pelo significado que tem para a região. A CCG, ao fim de 61 anos de funcionamento, congratula-se de apoiar as iniciativas dos seus associados e dos descendentes da zona, mantendo-se activa enquanto algumas desaparecem, como referido mais tarde e visível na satisfação do seu Presidente da Direcção, Sr. José Dias Santos.

O livro foi apresentado pelo Eng.º João Coelho, autor do prefácio e fiel seguidor do trabalho do escritor. Dedicado há 40 anos ao movimento regionalista, conhecedor da região e das suas vivências, o Eng.º João Coelho salientou na sua intervenção o valor desta recuperação dos pormenores, das expressões e das visões do mundo e da vida que Adriano Pacheco consegue na construção das suas personagens. Este registo, conseguido pelo autor (em conjunto com outros da região) deixará no futuro um legado que de outro modo corre o risco de desaparecer, tendo por isso um valor incalculável. Tal como o tempo que todos os presentes deram a este acontecimento – um tempo partilhado, em jeito de oferta do bem mais precioso que temos.

 

Estiveram também presentes Cristina Coelho, da Comissão de Melhoramentos de Roda Fundeira e António Rui Dias, da Comissão de Melhoramentos de Alvares, que ajudaram a promover este evento junto dos seus associados e amigos e das restantes colectividades da região. António Dias salientou, entre outras coisas, o gosto que ambos colocaram nesta divulgação, fomentando a união dos serranos, à semelhança dos festejos históricos ocorridos durante o ano passado.

 

Adriano Pacheco falou pouco, mas emocionado. Humilde nos agradecimentos que fez, ciente da missão de salvar do esquecimento aquilo que nos caracteriza e que nos constrói enquanto pessoas, focou a identidade com uma região, um modo de viver. Somos quem somos pelas raízes que temos.

 

Poderia ter acrescentado na altura que sou uma neta e filha que cresceu a ouvir as histórias à lareira, às vezes apanhadas entre meias-palavras que só ganhavam significado anos mais tarde. Que tenho também noção que são poucos os da minha geração que ainda conhecem as expressões da aldeia e da sua vida, tal como eu própria só recordo um punhado. Que o trabalho voluntário que fazemos para os conservar é estranho a alguns e incompreensível a outros, mas precioso para nós, para mim. Que me orgulhava de estar naquela mesa, de representar a Comissão, de divulgar uma obra que falava dos meus avós, tios, pais, primos. Que poderia fazê-los chegar aos meus filhos, com

pormenores que o meu crivo já tolheria.

E que agora ficam.

 

 

 

 

 

Foi no sábado, dia 21 de Novembro, na Casa do Concelho de Góis às 15h00.

 

Um abraço.





Publicada por Cristina Coelho 

in http://roda-fundeira.blogspot.pt/

publicado por penedo às 00:33

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. III Noite Solidária-C.C.G...

. Trajecto do Elèctrico  28

. Comendadores de Góis

. Comendadores de Góis em L...

. Comendadores de Góis

. GASTRONOMIA E AS GAMELINH...

. ...

. ll jantar solidário em Gó...

. CASA do CONCELHO de GÓIS ...

. Esporão

.links

.arquivos

. Setembro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO