Sábado, 7 de Dezembro de 2013

Casa da Fonte

Casa de Campo - Turismo em Espaço Rural


Situada em Povorais , aldeia mais alta da freguesia de Góis. Casa centenária de dois pisos, mantendo a traça original.

Construída em pedra de xisto, típica da região. Tectos e chão em madeira no andar superior, com três quartos.

No piso inferior localiza-se a casa de banho, cozinha, e sala com lareira rebaixada, e chão em loisas.
Povorais é uma aldeia do concelho de Góis, intercalada entre os Penedos de Góis e a Serra da Lousã.

Rodeada  de montes e paisagens serranas de grande beleza que são um convite à tranquilidade e à sua descoberta em passeios pedestres.


 http://casadafonte.webnode.com


facebook.com/casadafontepovorais

publicado por penedo às 22:02

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 9 de Outubro de 2013

À Volta dos Penedos...Sky Road em Góis

                             Sabado

Esporão   8h 36 

 

                com  vista dos Penedos de Góis   8 H 45

                                                                              Cabeçadas         8h 51

 

 

 

 

publicado por penedo às 10:47

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Abril de 2013

O Penedo

 

 

 

Em data incerta, mas certamente durante a orogenia do ciclo hercínico (com início há cerca de 450 milhões de anos), terá acontecido aqui um fenómeno geológico semelhante a tantos outros que a natureza nos proporciona: uma forte projecção e derrame de aglomerados de rochas metamórficas, vindos do interior da terra, a temperaturas elevadas, transformando os arenitos em quartzitos, a rocha predominante do novo maciço. 
Nascia assim uma elevação, sobrelevando-se às vizinhas, no seguimento de uma linha de alturas que, ligando a Serra da Lousã com a do Açor, divide o concelho em duas zonas bem diferenciadas. 
Com o passar do tempo, por ocorrência de desligamentos, fracturas e enrugamentos, aliada com a resistência à erosão própria do quartzito, o Penedo tomaria o seu aspecto actual, de acentuado contraste de relevo, de crista alongada, imponente e majestoso nos seus 1043 metros de altura, que sobressai da paisagem, avistado das cinco freguesias do concelho.
Composto por vários montes, os pastores foram baptizando-os com denominações simbólicas ou alusivas à sua utilização, que entraram no vocabulário quotidiano: o Penedo da Abelha, o Penedo do Picoto, o Penedo das Portas do Sol, o Penedo do Meio-dia, o Penedo do Reboludo, o Penedo da Foice, o Penedo do Pinheiro, o Penedo da Aigra, o Penedo da Carvalha, o calhau das merendas, as meninas, as fraguitas...
A pastorícia era a principal actividade de subsistência. Grandes rebanhos comunitários, de vários milhares de cabeças, compartilhavam os mesmos pastos e eram geridos pelo mesmo pastor, indicado rotativamente por cada grupo proprietário. 
Quem visite esta região, ainda pode deleitar-se, junto dos poucos residentes, com histórias de lobos, atacando os seus rebanhos, umas com pitadas de heroísmo ou de bravura, outras fantasmagóricas, ou com lendas de mouros que em tempos habitavam nas suas grutas. 
Quatro aldeias da região – Comareira, Aigra Nova, Aigra Velha e Pena – pequenos aglomerados à base do xisto, constituindo como que um percurso histórico, estão sob alçada de um projecto comunitário de desenvolvimento. Mas é pertinente também referir, como aldeias típicas desta região, e aconchegadas ao Penedo, os Povorais e o Vale Torto.
Na parte ocidental, na extrema com o concelho de Castanheira de Pêra, o espaço ao redor da capela de Santo António da Neve é local do “Encontro dos Povos Serranos”, alegre convívio anual entre as gentes das serras. Em tempos remotos, juntavam-se os pastores dos montes e aldeias ao redor, nos seus trajes característicos, constituindo grande romaria, com gentes vindas de zonas muito afastadas. Uma romaria e, agora também feira, que continua a fazer-se anualmente, no segundo sábado do mês de Julho, não faltando a tradição de cada participante levar, para além da merenda, um queijo inteiro, em homenagem ao seu santo padroeiro. 
Outrora, fabricava-se ali gelo, a partir de neve, em poços de que ainda hoje se observam vestígios, vendido depois para diferentes partes do país, nomeadamente para as geladeiras da Corte, em Lisboa. O antigo armazém dos neveiros transformar-se-ia na actual capela, por se ter encontrado num dos poços, um santo, logo baptizado de Santo António da Neve. Curiosamente, por meio da capela, passa a linha de fronteira dos dois concelhos, Góis e Castanheira de Pêra.

JNR 

(Conhecer Góis, 2008)

* *
(...) 
Em sentido perpendicular ao ramo oriental da serra do Açor, seguindo aproximadamente a linha norte - sul, levanta-se a meia distância entre as Pedras do Lumiar e o Trevim, o já referido Penedo de Goes, com uma cota de 1043 metros de altitude, dando começo à serra escarpada e nua que forma um dos lados do vale do Sotam e que depois de ter formado elevações consideráveis, como as de Sacões e Cabril, no concelho de Goes, atravessa o extinto concelho de Poiares até chegar ao Mondego, no termo de Penacova.
Esta serra é constituída por quartzita e representa, no meio das rochas que formam o trama esquelético de todo o sistema orográfico da região, uma modalidade geológica digna de menção, da rocha gneissica que lhe fornece uma grande parte dos elementos constituitivos.
É lícito supor que por extensa fenda aberta na mais antiga rocha do globo – o gneiss – ejaculou o agregado compacto de grãos de quartzo, o qual, combinado com alguns dos elementos dogneiss, sob a acção de uma elevadíssima temperatura, se converteu em quartzita formando a montanha que, além da forma alcantilada e rude, desconhecida nos terrenos em que se enxertou, sobrelevava em altura as elevações vizinhas. O calor e a pressão desenvolvidos pela formação do enorme maciço, imprimiram modificações às zonas contíguas da rocha fundamental e o metamorfismo aqui e o desagregamento acolá produziram efeitos que bem depressa foram presa de outros agentes.
Ao passo que a grande elevação do Penedo de Goes e da serra que se lhe segue ofereciam uma larga superfície à acção dos agentes cósmicos, a sua composição química permitia que o ácido carbónico desagregasse os elementos da rocha fundamental e então as chuvas torrenciais, caindo sobre a montanha, operavam o desmoronamento e arrastavam ao longe os detritos que acumulavam em possantes aterros.
Daqui o abaixamento sucessivo da alta cumiada, o rolamento de blocos de diferentes grandezas que, durante a intensa e prolongada revolução da natureza, com frequência se desprendiam do morro desnudado e a formação de depósitos que em breve tomavam o aspecto e o tamanho de verdadeiras montanhas, ao mesmo tempo que as águas que eram o veículo dos elementos das novas formações se reuniam em leito, cuja direcção era determinada pela maior ou menor coesão entre os antigos e novos terrenos. Por esta forma, as águas torrenciais caídas sobre o Penedo de Goes e serra de que fazia parte, arrastaram os detritos que, em aluviões e à mistura com blocos de quartzo, uns rolados outros angulosos, foram formar a serra do Carvalhal; logo, porém, que aquelas elevações diminuíram de altura e esta foi subindo até opor às águas um verdadeiro dique, estas derivaram entre a serra de onde dimanavam e o dique que formaram, delineando o vale do Sotam, de século em século mais cavado e fundo, como agora se vê.
A base do grande aterro de aluvião que dizemos chamar-se serra do Carvalhal foi até à bacia do Ceira, em cuja margem esquerda, desde Goes até à Várzea, se encontram hoje numerosos blocos de quartzo, uns a descoberto pela acção das águas ou do homem e outros envolvidos no aterro da nova formação que lhe serve de ganga e que demonstra uma origem comum. Mas enquanto aqui o quartzo desagregado da rocha mãe se apresenta lascado ou rolado, em blocos de maior ou menor tamanho, em outros pontos adjacentes à serra que lhe deu origem, reveste a forma de areia em grãos finos, constituindo abundantes depósitos. É o que se encontra na ladeira da Arraçaio, na freguesia da Várzea.
Mais longe, no extremo desta freguesia e já no termo do extinto concelho de Poiares, os detritos arenosos do quartzo, certamente por terem sido postos em contacto com a sílica, por via da água de infiltração, sofreram uma forte consolidação e formaram um extenso banco de grés que hoje é explorado como pedra de cantaria.
É a constituição geológica da serra de Alveite. Adiante ainda a matéria aglutinante dos grãos de grés, em vez da sílica, foi a cal e então o grés formou uma variedade de calcário.
Esta espécie constitui a serra de Mucela e é explorado tanto como cantaria, como para a calcificação. Uma e outra variedade de grés apresenta-se umas vezes branco, outras, mosqueado de diferentes cores, por efeito da presença de óxidos de ferro ou de cobre e com mais frequência dos primeiros.
Além das montanhas descritas, apenas poderá notar-se ainda a serra do Carpido ou Salgueiral que separa a freguesia da Várzea da de Pombeiro, no concelho de Arganil, e que é constituída por terreno de aluvião e provavelmente de origem análoga à do Carvalhal.

J. Afonso Baeta Neves
(Notícia Histórica e Topográfica da Vila de Goes e seu Termo, 1897, pp. 70-72)



in 
goismemorias
publicado por penedo às 17:00

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 4 de Abril de 2013

À volta dos Penedos- Povorais

          Comissão de Melhoramentos de Povorais

 



No passado dia 17 do mês de Março de 2013, realizou-se a Assembleia Geral Ordinária da Comissão de Melhoramentos de Povorais, na Casa do Concelho de Góis, pelas 15H30 horas, presidida pelo Sr. Daniel Lopes de Carvalho e pela Sra. Gina Pimentel, secretariado pela Sra. Elisabete de Carvalho Pinto, onde contou com uma boa presença de associados, tendo a seguinte ordem de trabalhos:

 

1 – Análise e votação do Relatório e Contas e Parecer do Conselho Fiscal;

 

2 – Eleição dos novos corpos gerentes da C.M. P. para o biénio 2013-2015;

 

3 – Assunto de interesses para os Povorais;

 

Aberta a assembleia pelo Presidente da mesa, foi posto á discussão o 1º ponto de ordem de trabalhos, dando a palavra à Direcção e de seguida intervieram alguns associados sobre a matéria, tendo sido posto á votação que foi aprovado por unanimidade.

De seguida, foi lido o Parecer do Conselho Fiscal, que foi colocado à votação, onde foi também aprovado por unanimidade.

Do relatório consta a proposta de votos de agradecimentos às seguintes entidades e conterrâneos:

·     Câmara Municipal de Góis

     Junta de Freguesia de Góis

      A Comarca de Arganil

     O Varzeense

      O Jornal de Arganil

        Voto pesar pelos sócios e Conterrâneos falecidos.

 

Passou-se ao segundo ponto da ordem de trabalhos, “Eleição dos novos Corpos Gerentes“.

 

Foi apresentada uma única lista para o biénio 2013/2015, que, após ter sido colocada à votação,

foi aprovada por maioria.

 

 

 Lista dos Corpos Gerentes eleitos:

 

 

Assembleia-geral

 

Presidente – Fernando Carlos Cerqueira Pinto

Vice-Presidente – Anselmo Carvalho Baeta

Secretário – Elisabete Jesus Lopes Carvalho Pinto

 


Direcção

 

Presidente – Paulo Alexandre dos Santos Henriques

Vice-Presidente – Mário Luís Domingos Barata

Tesoureiro -  Rui Manuel Henriques Alves

1º Secretário -  Marco Paulo Pereira Sousa

2º Secretário – Fernando Barata Henriques

1º Vogal – José Manuel Batista

2º Vogal – Mária de Fátima Alves Henriques

Suplente – Anselmo Miguel Figueira Baeta

 


Conselho Fiscal

 

Presidente -  José Gentil Henriques Pimentel

Secretário -  José das Neves Gonçalves

Relator -  Daniel Lopes de Carvalho


 De seguida fizeram-se algumas considerações gerais acerca da nossa  Aldeia

e por fim o Presidente da Mesa agradeceu o modo como a Assembleia tinha decorrido,

dando-a por terminada.

 

No final os novos Corpos Gerentes tomaram posse para o novo mandato.

 


in

http://povorais.blogs.sapo.pt/

publicado por penedo às 23:45

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Março de 2013

5 anos de Penedos de Gois

 Foi numa  Terça-feira,  dia 18 de Março de 2008 que o  Blog Penedos de Gois  

começou a sua divulgação.
O administrador agradece a todos os seus visitantes e amigos, 

(os seus comentários, visitas e  alguns  textos,assim como fotos )

sem os quais não seria possivel a divulgação  dos Penedos de Gois
obrigado
o Penedo
publicado por penedo às 00:00

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Junho de 2012

S. António da Neve

 

                                      

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                               

publicado por penedo às 10:40

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 13 de Março de 2012

Á Volta dos Penedos .... visita ao Vale Torto

 

O Vale Torto situa-se em cima de um pequeno planalto na encosta da impressionante Peneda de Góis, na Serra da Lousã. Procurando elementos para fazer este apontamento, pouco ou nada nos aparece, a não ser que pertence à Freguesia e Concelho de Góis e que faz parte das Aldeias de Xisto da serra da Lousã, no entanto casas de xisto pouco restam.
Mas porque razão estamos a falar deste pequeno povoado perdido no meio da serra e que para lá ir é preciso arranjarmos alguma coragem e sobretudo não olhar muito para o lado enquanto fazemos o percurso desde a estrada N2 (que liga Góis a Pampilhosa da Serra e Guarda) até ao Vale Torto?
Porque desde que vivo com a Ana tanto tenho ouvido falar em vale Torto, onde a Ana tem as suas raízes e onde viveu "os momentos mais belos da sua vida"...
Vou procurar descrever um pouco o que é o Vale Torto que eu visitei, levando a Ana de regresso à terra dos seus antepassados, e num gesto que a surpreendeu, porque "desde há 20 anos" que nada sabia da terra do seu pai e da sua tia/madrinha e pessoa que a criou e onde viveu momentos de grande alegria e carinho por parte da sua avó Idalina do Vale Torto como era conhecida, e com o seu irmão Júlio, falecido já há bastantes anos, bem como com sua prima (irmã, como a Ana a ela se refere) Cecília, também já falecida.
Aqui a emoção da Ana Extravasou ao ver a placa que indicava a "sua" terra, pois da última vez que a tinha visitado, 20 anos atrás nada disso existia

A "estrada" que nos leva a Vale Torto

À "entrada" de Vale Torto
O Centro de Vale Torto, apenas duas ruas com pouco mais de 100 metros
Placa na Casa de Convívio de Vale Torto, onde se reunem os membros da Comissão de Melhoramentos formada principalmente por pessoas que ali nasceram ou têm as suas raízes e que residem noutros locais do nosso país ou no estrangeiro e que "normalmente" ali regressam por alturas das festividades como a Páscoa, o Natal ou no período anual de férias.

As cabras são os "habitantes" mais frequentes da terra
A antiga casa da avó da Ana e onde esta viveu a sua infância, com seu irmão e prima

A Ana frente à "sua" casa

De novo a Ana, mas mostrando-me as "suas aventuras" de quando ali viveu

Esta é a passagem que une as duas ruas      
Uma das casas de xisto, que no tempo da infância da Ana eram o habitual na habitação da aldeia e a velha ponte que a Ana tantas vezes passou

Falando com a D. Clarisse, que conjuntamente com seu marido e sua filha, e os dois cães, são os habitantes permanentes de Vale Torto

Como se pode ver pela fotografia a viatura praticamente ocupa toda a "estrada". do lado esquerdo da fotografia segue-se um precipicio "assustador" para quem não conhece o local

O pequeno riacho que fica entre Vale Torto e Cerdeira do outro lado do vale

A pequena ponte que unia as duas margens no tempo da infância da Ana e que esta com o seu irmão e prima muitas vezes calcorreavam para ir à venda comprar os produtos alimentares

 

in

 

http://novasdescobertas-cerveira.blogspot.com

 

publicado por penedo às 19:48

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2012

Á VOLTA DOS PENEDOS...CARNAVAL

publicado por penedo às 16:56

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 8 de Janeiro de 2012

á volta dos Penedos

 

 

foto de

Acacio Moreira.

in facebook

publicado por penedo às 23:55

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 19 de Setembro de 2011

PASSEIO AOS PENEDOS

filme publicado no YouTube por MrChaimite
publicado por penedo às 00:25

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 6 de Setembro de 2011

Encontro de Poesia Popular na Pena

Encontro de Poesia Popular na Pena

 

 

É na Aldeia do Xisto de Pena, Góis, que dia 10 de Setembro tem lugar mais um Encontro de Poesia Popular,

 

sob o tema "As Condições Climatéricas".

Além da poesia e do convívio, há sempre espaço para a animação. Participe neste momento de convívio, no qual se partilham experiências

 

 e vivências do passado e presente destas terras e destas gentes.

Os Encontros de Poesia Popular têm lugar nas várias Aldeias do Xisto de Góis, e tem como objectivo principal, exortar a população local

 

 e outros à participação e partilha de saberes.


Programa:

15h – Sessão de Abertura. Segue-se o Workshop da Broa Serrana: Peneirar, Amassar, Tender.

Momentos de Poesia com

                                        Adriano Pacheco,

                                        

                                        Clarisse Sanches

                                     

                                        e Eugénia Santa Cruz.


 

Visionamento da curta documental: Coração do Xisto.

Lanche convívio com a broa serrana feita pelos participantes.

18h – Encerramento do IV Encontro de Poesia.

 

 

 

 

Cartaz_Poesia Popular na Pena - 10 Set. 2011 (PDF)

 

Organização

publicado por penedo às 16:40

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 17 de Maio de 2011

Memórias

 

 

in

facebook

AL CLARO

publicado por penedo às 21:48

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Abril de 2011

24 de Abril, um domingo cheio de sol

 

Almoço em Góis? Pode ser. Mas hoje deve estar tudo cheio. E estava. Fomos espreitando até que estacionámos. Meio dia e 10 e já a Dona Isabel não tinha parança. Vivam! cumprimentou, com aquele sorriso na cara bonita. Depois dos beijinhos, o apontar para uma mesa para dois, no fundo da sala, com gente dos lados. Só ali ou lá fora. Não, lá fora está muito calor. E ficámos. Para Marido tirar a barriga de miséria da dieta de carnes que nos imponho (não, não tinha nada a ver com a época festiva) pedimos uma costeleta de novilho para ele. Brrr. Nunca vi tanta carne junta, disse, roubando-lhe uma batata. Sobrou metade, que trouxemos para casa. O tempo não é de desperdícios. Eu, também quebrei o jejum, mas com o bitoque da casa, pequeno bife tenro, com ovinho de gema para molhar a broa. Delícia. Só para deixar aqui que somos fãs, há muitos anos, do Restaurante Beira Rio. Comida caseira, bem temperada, em quantidade mais que suficiente e bastante variada.
Um bem haja para esta família pela simpatia e modo carinhoso como trata os seus clientes, que tem conseguido manter um estabelecimento aberto há bastantes anos, sem no entanto subir muito os preços mantendo a qualidade na oferta.
Depois de almoço, a volta por Góis para de novo subir a serra, caminho de casa.
Góis estava vazia. O Penedo espreita e convida-nos, à esquerda da foto, com candeeiro a cortar. Lá em cima é que estamos bem.

http://coisas-de-tia.blogspot.com/

publicado por penedo às 23:51

link do post | comentar | favorito
|

uma aguarela. Um presente

Cerca das 20:27h - uma aguarela. Um presente




Voltei. Friozinho que obriga a casaco vestido. Baixou a temperatura. Não apetece ir para dentro. Que espectáculo, gratuito, a natureza nos oferece, se estivermos atentos às mudanças que cada dia nos oferece. É o Presente. Um presente.

in

http://coisas-de-tia.blogspot.com/

publicado por penedo às 23:43

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 23 de Janeiro de 2011

Vamos eleger as 7 maravilhas da Beira-Serra (concelhos de Arganil, Góis, Oliveira do Hospital e Tábua)

Turismo da Beira Serra

A região na Beira Serra tem os seus atractivos turísticos que de alguma forma tem estado arredios dos mapas turísticos de Portugal, no entanto detêm vários locais de interesse turístico que merecem ser conhecidos, divulgados e defendidos de modo a serem uma mais valia económica para a região. Este concurso é apenas um modo de dar a conhecer todo este património único.Assim entre 30 monumentos e lugares iremos escolher as sete maravilhas da Beira Serra (abrange os concelhos de Góis, Arganil, Oliveira do Hospital e Tábua)…
O nosso objectivo visa também contribuir para a formação cultural dos nossos alunos.
A iniciativa partiu do Clube do Turismo da escola básica de Góis com o Apoio do O Projecto “Escolhas de Futuro”.
Em breve anunciaremos o início da votação que decorrerá por e-mail e SMS, bem como a data do seu final. Os votantes podem eleger entre uma a sete maravilhas. Faremos em breve toda esta divulgação bem como indicaremos todos os restantes apoios que obteremos.
Sabemos que a escolha desta lista é subjectiva, no entanto é feita por nós que conhecemos bem este território e que o amamos, divulgamos e defendemos. No entanto com humildade saberemos alterar as nossas escolhas se as sugestões forem convincentes. Por isso perguntamos ao atento leitor, conhece outro património notável que aqui poderia estar? O que pensa dos locais seleccionados?
E sem mais delongas…eis a lista dos 30 maravilhas provisórias que irão entrar em concurso.

 

 

Lista de 30 sítios que participarão na eleição das 7 Maravilhas da Beira Serra

Arganil


1-Aldeia Histórica em xisto de Piodão
2-Área de Paisagem Protegida da Serra do Açor (Mata da Margaraça com a Cascata da Fraga da Pena)
3-Capela de São Pedro de Arganil
4-Monte da Nossa Senhora de Montalto
5-Túmulo de Mateus da Cunha na igreja matriz de Pombeiro da Beira
6-Gravuras Rupestres em Chãs da Égua (Piodão)

 

Góis
7-Cerro da Nossa Senhora da Candosa (Vila Nova de Ceira)
8-Penedos Quartzíticos de Góis
9-Rede de Aldeias de Xisto de Góis (Comareira-Aigra-Velha, Aigra-Nova e Pena)
10-Parque urbano do rio Ceira com a ponte Joanina na vila de Góis
11-Túmulo da Renascença de Luís da Silveira na igreja matriz de Góis
12-Tectos apainelados dos Paços do Concelho de Góis
13-Lagares de Azeite e troço paisagístico do rio Ceira na aldeia da Cabreira
14-Gravuras Rupestres da Pedra Letreira (Álvares)

 

Oliveira do Hospital
15-Panorama do Monte Colcorinho (partilha com Arganil e Seia)
16-Santuário da Nossa Senhora das Preces em Vale Maceira
17-Vales dos rios Alva e Alvôco
18-Ponte gótica e praia fluvial em Alvôco das Várzeas
19-Vila Histórica de Avô e o panorama das Varandas de Avô
20-Ruínas Romanas da Bobadela com o seu Arco Romano e Anfi-Teatro
21-Igreja Moçarabe de São Pedro de Lourosa
22-Capela dos Ferreiros na Igreja Matriz de Oliveira do Hospital
23-Anta da Arcainha no Seixo da Beira
24-Palheiras dos Fiais da Beira
25-Antiga Estalagem de Santa Bárbara na Póvoa de São Cosme com o seu panorama
26-Pousada e Convento da Nossa Senhora do Desagravo
27-Conjunto de lagaretas da Sobreda

 

Tábua
28- Pedra da Sé na margem esquerda do rio Mondego
29-Capela octogonal da Senhora dos Milagres em Tábua
30-Moinhos de Sevilha no rio Cavalos

 

8 -Penedos Quartzíticos de Góis


Os Penedos Quartzíticos de Góis exibem-se destacam-se magnificamente na paisagem da Cordilheira Central xistosa. São rochas quartzíticas formadas no Ordovícico em antigos Oceanos arenosos. Devido a sua resistência vão-se ao longo dos milénios destacando cada vez mais na paisagem. São um do...s ex-libris de toda a Beira serra. Se desejar votar nos Penedos de Góis como maravilha da Beira serra basta clicar no “gosto”. NO FACEBOOK


Cada votante poderá escolher até 7 maravilhas (no mínimo 1 no máximo 7) utilizando os seguintes meios:
-Votar através do “gosto” referente a cada local escolhido e que tem resumo na nossa página no facebook.
-Enviar um e-mail para o turismobeiraserra@gmail.com
-Enviar por SMS para o 92522276, com o preço de chamada norma...l com a indicação dos números dos monumentos.

 

 

 

 

 

 

A votação decorrerá até Abril de 2011.

 

IN

http://turismobeiraserra.wordpress.com/


publicado por penedo às 17:15

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 28 de Dezembro de 2010

Boas Festas

 

Os PENEDOS DE GOIS agradecem a todas/os, os que visitaram este blog ao longo da sua existência.

publicado por penedo às 22:07

link do post | comentar | favorito
|

O GRITO DOS PENEDOS

 

 

 

Aqui nas faldas das colinas

Em manhãs douradas

e ventos soberbos

Quem assume a neblina

dos arvoredos

Quem protesta e roga aos céus

brisa amena

Se os ventos são bafejos de Deus?

 

 

 

Os penedos se erguem para lá

dos montes

Com o fulgor que reluz

Na grandeza que se ergue

se eleva como luz

Se propaga como trovão

Se esmaga e faz tremer

o xisto rugoso do chão

 

 

 

Por que temos esta grandeza

tão grande

Que mal se sabe e se conhece

Que se expõe e engrandece

O nosso imenso horizonte

Sobe o olhar que nos conhece

 

 

Sabe um deus e o seu olhar

Com que pena temos dito

Mas o eco só redobra o nosso grito

 

 

Paxiano

 

 

o blog dos Penedos de Gois

agradece este inédito  ao amigo Paxiano

publicado por penedo às 22:06

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 19 de Dezembro de 2010

Janeiras á volta dos Penedos



publicado por penedo às 23:53

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 8 de Dezembro de 2010

3º dia de férias na Serra da Lousã

video

Amanheceu sem nuvens no dia 3. Apresentou-se um pouco opaco. O frio, esse não já não era surpresa. Ála passear. De carro pois, porque me é de todo impossível caminhar e respirar na rua em temperaturas de 2 ou 3 graus Centígrados. Coisas minhas, físicas. Nada a fazer. Ir onde? Sempre o mesmo dilema. Ali estava-se tão bem, mas dar a voltinha a pé com aquela temperatura, nem só com os olhos de fora. Nem pensar. E se fossemos até à Cabreira?! sugeri. Há lá um restaurante com um nome muito giro, a Tranca da Barriga ...

Depois de imaginar o percurso a seguir, até seria um passeio diferente porque nunca tinhamos subido, de Góis,a a EM 543 para a Nacional 2. Descer, sim, muitas vezes. E lá fomos. Com Bi atrás, deitadinha na sua nova cama comprada na «Loja dos Chineses» em Góis. A propósito, eles são muito atenciosos, sorridentes e até criaram um posto de trabalho para uma portuguesa. Por causa de traduzir a língua? Talvez não, agora, que a chinesinha fala bem o português e nós, por defeito ou virtude, fazemos todos os possíveis para os entendermos, a eles ou a quaisquer outros estrangeiros que estejam cá, a trabalhar ou em férias.

Ora bem. Estando em Góis, foi junto aos Bombeiros que iniciámos a subida, a caminho do almoço. A Estrada Municipal (EM ) 543 e levou-nos lá, mas sinuosamente. Passámos Cortecega. Muitas curvas depois, a Cabreira. A cada curva, uma paisagem diferente. Eu fui clicando, dentro do carro em andamento e de janela aberta, com Marido a refilar por causa do frio, que era glaciar para nós, ainda habituados a 4 Estações. Mas foi-me impossível não o fazer. Estar sentada a ver toda aquela paisagem belíssima a desafiar-me e não a clicar e trazer para casa, era um desperdício. Eu e os meus clics, para poder mostrar aquele cantinho de Portugal, na Beira Interior, um dos mais pobres de Portugal.

Cabreira olhada pela 1ª vez. O Restaurante? Placa não havia, mas houve uma senhora loura de cabelo encaracolado simpatiquíssima que nos indicou o melhor caminho. Entrámos. Boa tarde! Sentimos o natural acolhimento daquela zona. Subimos ao 1º andar. Sentámo-nos. Apareceu Álvaro Martins. Trocámos conhecimentos e «facebooks». Que comer? Feijoada, o prato do dia. Sem ser carne? Polvo acabado de cozer para uma saladinha ou se quiser, com batata e legumes. Não é preciso. Traga uma dose de feijoada e uma saladinha de polvo. Vinho da casa, azeitonas temperadas, um queijinho de cabra. Melhor? Não. Aprovados. Sobremesa, arroz de mel. Tivemos de experimentar. Com limão e pau de canela. Ainda morno. Um pouco mais de cozedura do grão e estaria irrepreensível. Café bom. Preço óptimo. Desejamos à nova gerência da Tranca na Barriga, na pessoa de Álvaro Martins, muita sorte. Foi um prazer lá ter ido.

Depois restava a viagem de regresso. Por cima para a Nacional 2? Ou descer a Góis? Por cima, que andaram carros da Câmara a meter sal nas estradas. A tarde caía. O Penedo estava quase opaco.


 

http://coisas-de-tia.blogspot.com/

publicado por penedo às 23:50

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 7 de Dezembro de 2010

Neve nos Penedos

Neve, pouca. Gelo, muito.

Nunca sentimos a Serra da Lousã tão agreste como neste 1º de Dezembro de 2010, assim como nos quatro que se seguiram. 5 dias de férias em Lisboa era um desperdício.
Por isso e apesar dos avisos meteorológicos, seguimos com mantimentos, não fosse o diabo tecê-las e a impossibilidade de viajar pela Nacional 2 se tornasse um pesadelo.
Chegámos às cinco da tarde de quarta feira e o sol já tinha passado para detrás do Penedo.
A noite já se instalara. A noite e o frio de vento cortante, seco.
Descemos ao fundo do Lugar. Chave na porta e um frio de tumba. Dentro de casa o termómetro marcava 3 graus. Credo!
Acender o fogão e ligar o aquecimento, a prioridade e tarefas de Marido. Arrumar a tralha, fazer o jantar, a minha. Aproveitar o que viesse, a nossa. E mexer-mo-nos, que quem se mexe aquece.
De manhã, dez horas e upa da cama. Fui espreitar. Estava branco o meu Penedo. De gelo e só lá em cima, que o sol já tinha derretido algum, cá mais abaixo. Respirar o ar frio de 2 graus na serra é muito perigo para «alfacinhas» como eu. O nariz gelou enquanto cliquei. Gelei toda. Impressionante. Apesar disso, não haver chuva, era o melhor dos presentes.
Ir passear. Para onde? Aquele frio, o frio como nunca sentimos naquele Lugar «de serras, ventos, penhascos, oliveiras e sobreiros» como falou José Régio mas do calor, em Portalegre, fez-nos ser prudentes e ficar por ali.
Do Outono, das suas cores, já pouco resta. O Inverno instalou-se. De malas e bagagens.

Manhã solarenga. De pouca dura.

Bem haja a quem nos ofereceu nabiças. Marido é um expert a arranjá-las. E uns riozinhos de sol são sempre bem vindos.
Para a tarde, elas chegaram. As núvens.

E instalaram-se. E o frio também.

Os azevinhos de Mano estão lindos! Não deu para ir mais longe, visitar outras espécies.

Na Nacional 2, caminho de Góis, em busca da Estrela

Vamos a caminho de Góis. A manhã está linda. Com sorte, iremos a um sítio que ainda não conhecemos...
E lá estava a Estrela. Nome da Serra vizinha da nossa.

As três últimas são do Esporão. Olá Amigos!
Que espectáculo têm em fundo!

A vista a caminho de Góis ...

Parque heólico (à direita da Folgosa)

Para lá de Góis

A Vila de Góis, à direita da foto, em baixo

 

Cortecega, à esquerda da foto, a espreitar. Viva Eugénia Santa Cruz!

Estrela ainda em fundo.

 

por

http://coisas-de-tia.blogspot.com/

publicado por penedo às 01:21

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 2 de Setembro de 2010

Caminhada aos Penedos

 

 

 

 

in

facebook

 

 

publicado por penedo às 00:28

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 28 de Agosto de 2010

Eólicas nos Penedos de Gois

 

Candidato  ás 7 Maravilhas Naturais de Portugal


 

ALERTA AOS AMIGOS DOS PENEDOS

 

Não deixem que estraguem  uma das belezas naturais do nosso Concelho  os Penedos de Gois

 

Existe um projecto  na Câmara Municipal de Góis com o intuito de ser instalado um parque eólico nos Penedos de Góis.

 

Vamos todos juntos denunciar este ataque  á  beleza  natural e  não deixar que estraguem esta maravilhosa  paisagem.

 

 

Vamos todos  enviar email para a Câmara Municipal  de Góis mostrando o nosso desagrado a este atentado

 

Email: correio@cm-gois.pt

 

 

Antenas nos Penedos ,NÂO

 

 


Preservar os PENEDOS é a palavra a não esquecer
PENEDOS a Monumento Nacional

 

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Gois - 7 Maravilhas de Portugal

O Município de Góis, apresentou duas candidaturas "VALE DO CEIRA” e “PENEDOS DE GÓIS” às "7 Maravilhas de Naturais de Portugal”, encontrando-se no momento na fase de nomeado.

 

7_Maravilhas1


O Vale do Ceira é a representação viva da expressão “vale encantado”, composto por toda uma paisagem idílica, repleta de elementos de grande riqueza e biodiversidade, com um elemento natural sempre bem presente, o Rio Ceira, cujas águas cristalinas serpenteiam por todo o vale, conferindo-lhe uma riqueza singular.

 

7_Maravilhas3

 

Apresenta um conjunto natural e arquitectónico representativo de uma orografia acentuada, que se traduz numa mais valia, em termos de valor histórico, cultural e etnográfico das gentes que aqui se estabeleceram, abraçando o modo de vida dos seus antepassados, vivendo em consonância com a natureza e dela subsistindo.


7_Maravilhas2

 

Penedos de Góis, topónimo atribuído ao majestoso afloramento quartzítico do período do Ordovício. Trata-se, sem dúvida, de um dos mais soberbos miradouros naturais da região centro, atingindo uma cota de 1043m de altitude no seu ponto mais alto.

 

Para além de possibilitar a contemplação duma extraordinária panorâmica sobre o território em redor, permite aceder também a toda uma riqueza florística e faunística característica da Serra da Lousã, meio onde se encontra inserido e, consequentemente, em Rede Natura 2000. Um ponto de interesse turístico, do concelho de Góis, para todos os aficionados e praticantes de turismo de natureza, desporto aventura, fotografia, entre outras actividades.

 

7_Maravilhas5

 

O Concelho de Góis situa-se na parte oriental do Distrito de Coimbra, inserindo-se na Região do Pinhal Interior Norte. Possui uma vasta área territorial estimada em 276Km2, de enorme riqueza e biodiversidade. A sua vida social e económica cruza-se com a forma de implantação e desenvolvimento dos aglomerados tradicionais existentes, apresentando o território formas de povoamento disperso, como atestam as 190 povoações existentes distribuídas pelas suas 5 freguesias: Alvares, Cadafaz, Colmeal, Góis e Vila Nova do Ceira.

 

7_Maravilhas4


Góis é atravessado pelo Vale do Rio Ceira, sendo delimitado e separado da Beira Serra Interior pelas Serras da Lousã e Açor. Marcado por uma geografia própria, muito acidentada e por uma dimensão essencialmente micro-regional e local, onde perduram as heranças históricas que definem o tipo de ocupação, o modo de organização do seu território assume uma forte componente rural.

Capital do Ceira, por ser a única sede de concelho banhada por este rio, Góis apresenta um imponente enquadramento paisagístico, dominado por altas e majestosas serras. Entre o rio e a montanha resultam as praias fluviais com a pureza das suas águas que proporcionam aos muitos turistas e visitantes irresistíveis e refrescantes banhos. A paisagem do território é ornamentada por povoações de casas brancas e de xisto.


A próxima fase do projecto consiste na criação de um painel de 77 especialistas, representantes das várias áreas científicas e com representatividade geográfica nacional que avalia todas as nomeações e elege 77 candidatos (11 por cada uma das 7 categorias). Esta fase do concurso ficará concluída a 7 de Fevereiro 2010 com a apresentação dos 77 pré-finalistas. Posteriormente um painel de 21 personalidades notáveis do nosso país irá escolher as 21 Maravilhas finalistas, as quais serão apresentadas para votação pública a 7 de Março de 2010.

in

http://www.cm-gois.pt/
Deixe o seu comentário
publicado por penedo às 22:26

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Agosto de 2010

BIODIVERSIDADE

 

Seminário:

 


AUDITÓRIO CASA DO ARTISTA

11 DE AGOSTO DE 2010

 

BIODIVERSIDADE

publicado por penedo às 01:56

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 27 de Julho de 2010

O «meu»Penedo :).

O «meu»Penedo :). Madeixa loura sob a luz do Sol, quase a por-se para lá da Pena.

 

http://coisas-de-tia.blogspot.com/

publicado por penedo às 22:56

link do post | comentar | favorito
|

Penedos

publicado por penedo às 22:32

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 20 de Julho de 2010

1ª-SUBIDA AO PENEDO DE GÓIS 1983

RECORDANDO


Já lá vão vinte e sete anos,quando da subida ao Penedo Góis por este grupo composto de primos e primas,uns da Aldeia da Ribeira outros da do Esporão.
Idades compreendidas entre os seis, e os trinta e dois anos, uma verdadeira juventude ,que por trilhos a descobrir,lá iamos numa autentica aventura ,tendo este grupo subido até ao marco Geodésico.
Por etapas lá íamos descansando,aproveitando para se fazer uns registos fotográficos,das vistas espectaculares que nos deparavam aos nossos olhos,e claro está, para comermos uma bucha, pois que os ares e o esforço assim o ditavam.

Aqui ficam os nomes em baixo da esquerda para a direita:Adriano,Lina,Sandra,Carlos Manuel,Quim e Daniel. Em cima: Mário,Nuno Ricardo,Paula,João Carlos , Rogério,e José Manuel ausente da foto, foi quem fez o clique.

Ao fim de cinco horas aproximadamente de subida por entre fragas e penhascos lá chegamos ao topo.Foi inesquecivel podem crer!...

No marco Geodésico
fotos e texto de A.R.Filipe

publicado por penedo às 01:31

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Julho de 2010

CERDEIRA DE GÓIS CAMINHADA ATÉ AOS PICOS DOS PENEDOS DE GÓIS


A Cerdeira tem o privilégio de ter como natureza circundante estes belos penedos do nosso concelho.


A Direcção da Comissão de Melhoramentos da Cerdeira de Góis está organizar uma caminhada pedestre até aos mais altos picos dos Penedos de Góis

.Esta caminhada vai ser realizada no dia 14 de Agosto de 2010 e está aberto a todos os que nos quiserem acompanhar....

 

 Quem estiver interessado é só comparecer devidamente equipado para o efeito.

 

Mais informações junto de qualquer membro da direcção, ou através do contacto:

 

Presidente da Direcção – Carlos Albino – 938931790


Vem connosco desfrutar da nossa natureza….

 

in Facebook

 

 

 

publicado por penedo às 11:27

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 25 de Maio de 2010

Lua, calor e ralos




Esta Lua encantou-me pelo brilho na noite estrelada, sem luzes de cidade, quase a esconder-se no Penedo de Góis.
Eu bem que podia ser o grilo, mas não canto.
Em quarto crescente muito brilhante, com Marte mesmo ao lado, que não apanhei nos clics.
No início de um novo dia, pouco passava da meia-noite de sábado passado, estive a olhá-la.
O termómetro marcava 30 graus centígrados.
O silêncio era cortado apenas pelos ralos.
O sono tardava em vir.


«- Bonita noite de Primavera, vizinho Ralo! – Comenta o grilo, à porta da toca.
- Mas talvez ainda um pouco fresca… – Contrapõe o vizinho, lá do seu buraco.
- Ora, ora, para mim está excelente! – Exclama o insecto saltador.
- Quer dizer que vamos ter serenata… – Insinua o ralo.
O grilo levanta as asas:
- Claro. Ou até uma desgarrada! – E logo, temeroso: - Não me diga que quer ficar de fora?!
- Não, não. Por mim, estou pronto para cantar a qualquer hora!
- Antes assim. – Diz o grilo.
E ficam, o grilo e o ralo, a afinar o canto no canto do jardim.»

Soledade Martinho Costa
Do livro "Histórias que a Primavera me Contou"
Ed. Publicações Europa-América

publicado por penedo às 00:59

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 23 de Maio de 2010

Falando do silúrico



É verdade. É uma palavra estranha e o que terá ela a ver com Góis? Nada dirão alguns, tudo dirão outros.

Aparentemente os dois poderão ter razão.

Nada porque dela não se houve falar. Tudo porque o Penedo de Góis pertence ao Silúrico, aquele período da história da terra, compreendido entre 443 e 416 milhões de anos atrás, que decorreu num lapso de tempo de 27 milhões de anos.

O Penedo de Góis guarda nas suas rochas as marcas de vida naquelas longínquas datas. As bilobites. As bilobites são os vestígios deixados nas rochas pela deslocação de um animal dominante nos mares da época, as trilobites.

Que importância tem isso para Góis? Nada dirão alguns, muita dirão outros.

O que nos mostra o Penedo de Góis é algo que só a natureza nos pode proporcionar, não pode ser encomendado ou fabricado.

Hoje em dia há mais e mais gente que se interessa por assuntos deste teor, é pois uma riqueza que pode e deve ser explorada.

Porque não estudar e explorar, turistica e culturalmente, em Góis um "Parque Silúrico"?

É o repto que lançamos à Câmara Municipal de Góis.

 

 

Comentários:

Com efeito, Senhor Engenheiro José da Rocha Barros, estão na moda os chamados Geoparques que, reconhecidos e patrocinados pela UNESCO desde 2004, um pouco por todo o mundo, se afirmam como "territórios bem definidos com uma área suficientemente grande para servir de apoio ao desenvolvimento sócio-económico local, devendo abranger um determinado número de sítios geológicos de relevo ou um mosaico de entidades geológicas de especial importância científica, raridade e beleza, que seja representativo de uma região e da sua história geológica, eventos e processos, para além de poder abranger outros aspectos, designadamente de natureza ecológica, arqueológica, histórica e genericamente cultural".

Neste momento, está a decorrer o processo de candidatura à Rede Europeia de Geoparques o caso de Penha Garcia, no concelho de Idanha-a-Nova, sob a orientação técnico-científica do Prof. Carlos Neto de Carvalho, da Universidade de Lisboa, coadjuvado pelo investigador alemão Adolf Seilacher, galardoado pela Academia Sueca de Ciências com o prémio mais alto do continente europeu logo a seguir ao Nobel, sendo bom saber-se que, entretanto, a autarquia declarou a zona como de interesse municipal para salvaguardar as suas "cobras pintadas", ou seja, os icnofósseis (bilobites) desses "seres solitários" que, há cerca de 450 milhões de anos, as trilobites (artrópodes invertebrados), inundavam os oceanos, numa altura em que esta região se situava sobre o equador. Tudo muito certo.

Só que a primeira vez que estes testemunos dos primeiros seres que povoaram o globo foram detectados foi precisamente no Penedo de Góis por alturas de 1880, ano em que o pioneiro da Geologia em Portugal, Nery Delgado, os submeteu à apreciação dos mais eminentes cientistas europeus, presentes em Lisboa no "IX Congresso Internacional de Antropologia e Arqueologia Pré-históricas", sem que se gerasse consenso acerca da sua identificação, inclinando-se a maioria para a hipótese de Nery Delgado, que neles via algas ou vestígios da sua existência.

Foram precisos muitos anos para, de observação em observação, se chegar ao esclarecimento do problema, não restando presentemente quaisquer dúvidas de que se trata de rastos de trilobites deixados nas rochas quartzíticas do período silúrico (paleozóico). E tudo isto começou em Góis! Foi do seu Penedo que Nery Delgado fez transportar para o Museu dos Serviços Geológicos, sediados em Lisboa, algumas vistosas placas com a indicação da sua proveniência e colocadas em grande destaque, à entrada do Museu, placas que incluiu no seu estudo de conjunto sobre o Silúrico em Portugal, importantíssima obra de referência.

Esta é, pois ideia do Parque Silúrico a instalar no concelho de Góis em torno da crista quartzítica do seu emblemático Penedo, associando à fruição estética dos seus icnofósseis, de excepcional beleza e impressionante aparência, tudo quanto, do ponto de vista cultural, possa contribuir para o seu enriquecimento e valorização. A par do de Penha Garcia, em vias de concretização sob os auspícios da UNESCO, seria no país um novo Geoparque a permitir aos visitantes "uma viagem no tempo ao mundo das trilobites", esses "seres solitários" que há meio bilião de anos inundaram os oceanos em torno do continente único designado por Gondwana. Fora do alcance do homem comum? Muito longe disso, pois no dizer de Adolf Seleicher "a natureza tem formas interessantíssimas que cada um pode desfrutar… mesmo sem saber nada de ciência".

Cumpre à autarquia dar o primeiro passo, promovendo desde já e dentro das suas atribuições a classificação da zona como área de interesse municipal. O resto… virá por si sob o impulso do Movimento e com a graciosa colaboração das entidades a quem compete zelar pela preservação ambiental dos bens da natureza e pelas manifestações culturais do território nacional. Temos fé! JCN


............................

É isto o que se chama o Geoturismo integrado na "Rota Mundial dos Fósseis", enfatizado e privilegiado pela UNESCO na chamada Meseta Meridional, onde este género de icnofósseis se apresenta com uma exuberância e nitidez que só voltam a encontrar-se na Bolívia, ainda que em menor grau, dizendo a seu respeito o Prof. Andrea Baucon, da Universidade de Trieste, que são "as páginas mais belas do livro do tempo escrito nos fraguedos". Quem não gostaria de lê-las? JCN

.................

 

in

 

http://www.portaldomovimento.com

publicado por penedo às 01:03

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 27 de Abril de 2010

Penedo Gois no Facebook

 

 

Está tambem no

 

www.facebook.com

publicado por penedo às 10:39

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 9 de Abril de 2010

Visitar Talasnal e.....

 

 

http://www.youtube.com.GuidinhaPinto

publicado por penedo às 22:35

link do post | comentar | favorito
|

Clics na Serra da Lousã ll


Domingo de Páscoa - Dia limpo de nuvens e sol a brilhar. Mas acabou.

Vale Torto, olhado da Estrada, a caminho de Alváres.

O Penedo.
Vale Torto e Penedo.
Penedo e Vale Torto, Vale Torto e Penedo. As últimas imagens que retenho.
Foram 3 os dias. Dois de frio e de chuva. Até geou. O último, o da viagem de regresso, pelo menos nesse, houve calor e céu azul.
Valeu :)
Adeus, até à próxima ...

http://coisas-de-tia.blogspot.com/

publicado por penedo às 21:58

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 5 de Abril de 2010

Cerdeira e Póvoa vistas do Penedo




 

http://aldeiadoesporao.blogspot.com/

publicado por penedo às 16:18

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 31 de Março de 2010

Do alto do Penedo, saúdam..

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
João Bandeira e Laurindo.


Corajosos não?
publicado por penedo às 11:44

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 29 de Março de 2010

Video dos Penedos

 

Penedos de Góis - 2009 PT from Henrique Martinowski on Vimeo.

 

 

 


Meus Videos e Fotos tiradas na saída de campo no dia 4 de Abril de 2009 com os alunos do curso "Fotografia e Tratamento de Imagem Digital" Ministrado por Luis Ferreira luis-ferreira.com (as 3 primeiras fotos do video são dele).

Caminhámos desde a aldeia da Pena até à aldeia dos Povorais, rasgando os trilhos selvagens dos Penedos de Góis. Novas espécies foram fotografadas e interagimos com a população desta aldeia, a quem agradecemos a hospitalidade.

 

publicado por penedo às 22:38

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 21 de Março de 2010

AS CASAS DO ESPORÃO X I

 

 

OUTROS ÂNGULOS...

 

 E esta...hem!?.. é a única com telhado escuro?...e será mesmo preto?..

 

.parece cravada no Penedo


É fácil ou difícil

 
foto de A.Filipe
publicado por penedo às 18:39

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Março de 2010

7 Maravilhas Naturais de Portugal


O Penedo de Góis, em Dezembro de 2006
 
O meu Penedo não foi um dos escolhidos para a final, como uma das maravilhas orgânicas e naturais do meu País. É que mereciam ganhar todas. São todas maravilhas naturais, sem a mão do homem a fazer a diferença.
Com a sua divulgação irão decerto contribuir para serem descobertas. Conhecê-las e conviver com as suas gentes é uma pílula de boa disposição.
Serão também convites a lembrar aos portugueses da necessidade de não estragar, não emporcalhar, como tenho constatado e de revisitar a memória tantas vezes esquecida, de todos os que lá têm as suas raízes.
Do Portugal que eu conheço, por ter lá estado de pés assentes no chão, escolho estas 6 e mais uma que ainda não conheço*:
Ria Formosa na categoria Zona Marinha
Parque Nacional da Arrábida na categoria Grandes relevos
Parque Nacional da Peneda-Gerez na categoria Zonas Protegida
Grutas de Mira de Aire na categoria Grutas e Cavernas
Portinho da Arrábida na categoria de Praias e Falésias
*Lagoa das 7 cidades na categoria de Zonas Aquáticas não marinhas
 
São locais lindos situados em Portugal, na zona Ocidental do Continente Europeu e no Oceano Atlântico. Venham até cá. Os de cá, fiquem por cá. Reinvistam em nós. Merecemos e precisamos.


publicado por penedo às 23:24

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 15 de Março de 2010

Penedos de Gois

 

Do álbum:
"Esporão - My village pt1" por Cátia Adão

 

publicado por penedo às 21:11

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 4 de Março de 2010

Aniversário do “O Blog dos Penedos de Góis

 

 

 4 de Março é o dia de aniversário do “O Blog  dos Penedos de Góis” .
O Blog está em festa , por este 2º aniversário , a todos vocês que têm seguido este blog,  
o meu muito Obrigado.

 


 

 

 

 

 


 

 


 

  
publicado por penedo às 00:00

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 2 de Março de 2010

Penedos

publicado por penedo às 22:32

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2010

O frio não nos impediu de sair de Lisboa

Sábado, arrancámos cedo, estava um dia frio e de sol. Chegámos à Serra e o ar estava limpo e gelado. Ui tão gelado. Abrir portadas para o Sol entrar, ir buscar lenha e acender o fogão. Com tarde bonita, demos um pulo até Góis. Vazia. Meia dúzia de pessoas pelas ruas, ninguém mascarado. Voltámos a casa.

Já perto da meia-noite, marido chamou-me. Vem cá ver.

E vimos flocos de neve a dançar. Depressa cliquei e cliquei, que estavam menos 1 grau lá fora. O carro ficou branquinho em poucos minutos. Na manhã seguinte, tal como uma criança em manhã de Natal, saltei da cama mal acordei.

O Penedo estava todo coberto de branco. Maravilhosa sensação.

Continuava muito frio. Mais para a tarde a chuvinha veio substituir os flocos.

Estava na hora de começar a arrumar as tralhas. Na manhã seguinte, 2ª feira, O Penedo mantinha o seu manto branco, mas a chuva continuava a cair. Da Estrada Nacional 2 até Alváres estava fechada pela neve e os carros parados.

A caminho de Lisboa, viemos pela Lousã até Condeixa, com o frio e a chuva a fazerem-nos companhia.

Lembrei este poema de Augusto Gil, Balada da Neve.

«...mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria... .
Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!

Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho. /...»

A outra parte do poema - «da pobre gente que avança, e noto, por entre os mais, os traços miniaturais duns pezitos de criança...
E descalcinhos, doridos... a neve deixa inda vê-los, primeiro, bem definidos, depois, em sulcos compridos, porque não podia erguê-los!...
Que quem já é pecador sofra tormentos, enfim! Mas as crianças, Senhor, porque lhes dais tanta dor?!... Porque padecem assim?!...
E uma infinita tristeza, uma funda turbação entra em mim, fica em mim presa. Cai neve na Natureza e cai no meu coração.» - já não fazem parte do nosso dia a dia.

Apesar dos tempos que atravessamos serem tempos difíceis, as gentes e a criança do poema são de outrora. Não existem mais por cá. Fico feliz por isso.

 

 

 

http://coisas-de-tia.blogspot.com/

publicado por penedo às 09:33

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2010

NEVE em Povorais

 

 

 

publicado por penedo às 09:21

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010

Penedos de Gois e Vale do Ceira

 

 

Gois - 7 Maravilhas de Portugal
 

in

http://www.cm-gois.pt/

publicado por penedo às 00:00

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2010

Góis entre os nomeados - 7 Maravilhas de Portugal


 

 


 

O Município de Góis, apresentou duas candidaturas "VALE DO CEIRA” e “PENEDOS DE GÓIS” às "7 Maravilhas de Naturais de Portugal”, encontrando-se no momento na fase de nomeado.


 

7_Maravilhas1


O Vale do Ceira é a representação viva da expressão “vale encantado”, composto por toda uma paisagem idílica, repleta de elementos de grande riqueza e biodiversidade, com um elemento natural sempre bem presente, o Rio Ceira, cujas águas cristalinas serpenteiam por todo o vale, conferindo-lhe uma riqueza singular.


 

7_Maravilhas3
 


 

Apresenta um conjunto natural e arquitectónico representativo de uma orografia acentuada, que se traduz numa mais valia, em termos de valor histórico, cultural e etnográfico das gentes que aqui se estabeleceram, abraçando o modo de vida dos seus antepassados, vivendo em consonância com a natureza e dela subsistindo.


7_Maravilhas2


 

Penedos de Góis, topónimo atribuído ao majestoso afloramento quartzítico do período do Ordovício. Trata-se, sem dúvida, de um dos mais soberbos miradouros naturais da região centro, atingindo uma cota de 1043m de altitude no seu ponto mais alto.


 

Para além de possibilitar a contemplação duma extraordinária panorâmica sobre o território em redor, permite aceder também a toda uma riqueza florística e faunística característica da Serra da Lousã, meio onde se encontra inserido e, consequentemente, em Rede Natura 2000. Um ponto de interesse turístico, do concelho de Góis, para todos os aficionados e praticantes de turismo de natureza, desporto aventura, fotografia, entre outras actividades.


 

7_Maravilhas5


 

O Concelho de Góis situa-se na parte oriental do Distrito de Coimbra, inserindo-se na Região do Pinhal Interior Norte. Possui uma vasta área territorial estimada em 276Km2, de enorme riqueza e biodiversidade. A sua vida social e económica cruza-se com a forma de implantação e desenvolvimento dos aglomerados tradicionais existentes, apresentando o território formas de povoamento disperso, como atestam as 190 povoações existentes distribuídas pelas suas 5 freguesias: Alvares, Cadafaz, Colmeal, Góis e Vila Nova do Ceira.


 

7_Maravilhas4


Góis é atravessado pelo Vale do Rio Ceira, sendo delimitado e separado da Beira Serra Interior pelas Serras da Lousã e Açor. Marcado por uma geografia própria, muito acidentada e por uma dimensão essencialmente micro-regional e local, onde perduram as heranças históricas que definem o tipo de ocupação, o modo de organização do seu território assume uma forte componente rural.
 

Capital do Ceira, por ser a única sede de concelho banhada por este rio, Góis apresenta um imponente enquadramento paisagístico, dominado por altas e majestosas serras. Entre o rio e a montanha resultam as praias fluviais com a pureza das suas águas que proporcionam aos muitos turistas e visitantes irresistíveis e refrescantes banhos. A paisagem do território é ornamentada por povoações de casas brancas e de xisto.


A próxima fase do projecto consiste na criação de um painel de 77 especialistas, representantes das várias áreas científicas e com representatividade geográfica nacional que avalia todas as nomeações e elege 77 candidatos (11 por cada uma das 7 categorias). Esta fase do concurso ficará concluída a 7 de Fevereiro 2010 com a apresentação dos 77 pré-finalistas. Posteriormente um painel de 21 personalidades notáveis do nosso país irá escolher as 21 Maravilhas finalistas, as quais serão apresentadas para votação pública a 7 de Março de 2010.

 


21-01-2010

 

in http://www.cm-gois.pt/

publicado por penedo às 09:59

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010

Penedos de Gois candidato para as 7 Maravilhas Naturais de Portugal

 

   foto de http://luisferreirafotografia.blogspot.com/

323 Candidaturas para as 7 Maravilhas Naturais de Portugal

Selecção vai começar,  e a 7 de Março serão conhecidos os 21 locais que os portugueses podem votar.

Centro do País com mais locais candidatos.

A 11 de Setembro Portugal ficará a conhecer as suas sete maravilhas naturais. 270 locais concorrem a esta distinção, mas como alguns estão em mais do que uma categoria, as candidaturas sobem às 323. O início de uma longa selecção que terminará com o voto dos portugueses quando foram conhecidos os 21 finalistas, o que acontecerá a 7 de Março.

A iniciativa da New 7 Wonders Portugal teve uma adesão de quase 100% das autarquias e o responsável Luís Segadães explica a larga selecção para que “nenhum local importante ficasse de fora” e espera que no final “os portugueses se sintam representados pelas sete maravilhas”.

Para já, uma primeira selecção será feita por um painel de 77 especialistas, que escolherá 77 locais. Depois um outro painel de notáveis escolherá os 21 finalistas, passando então o voto para os portugueses, que o poderão fazer através do site www.7maravilhas.sapo.pt. Os locais vencedores serão apurados de acordo com cada categoria (zonas marinhas, grutas e cavernas, praias e falésias, florestas e matas, grandes relevos, zonas protegidas, zonas aquáticas não marinhas), não podendo haver mais de uma ou duas maravilhas por região.

“Nunca vi uma pátria tão pequena, mas com tanta diversidade”, realçou António Vitorino. O comissário para as 7 Maravilhas Naturais de Portugal admitiu ter ficado impressionado com o número de candidaturas, mas Luís Segadães, responsável pela iniciativa da New 7 Wonders Portugal, até deu um número ainda maior: “Quando fizemos um levantamento inicial, tínhamos mais de 800 locais. Contactámos todas as entidades para garantir que nenhum local relevante ficasse para trás, para que a votação não fosse colocada em causa no final.”

As candidaturas foram 323, separadas por sete categorias: zonas marinhas; grutas e cavernas; praias e falésias; florestas e matas; grandes relevos; zonas protegidas; zonas aquáticas não marinhas. A maior incidência verifica-se na zona centro do País, com 69 candidaturas; seguida do Norte, com 56; e de Lisboa e Vale do Tejo, com 47. A categoria de grandes relevos tem 75 eleitos e praia e falésias, 73.

No ano em que a biodiversidade estará em destaque em todo o mundo, Portugal quer com a eleição das 7 Maravilhas Naturais mostrar a sua diversidade na natureza. “Espero que com esta iniciativa se possa mudar a tendência para a desvalorização da importância do ambiente e que possa haver orgulho no património natural”, referiu Humberto Rosa, secretário de Estado do Ambiente.

Com a eleição dos sete monumentos que passaram a ser as 7 Maravilhas de Portugal, houve um aumento de visitas. A expectativa de que situação idêntica aconteça nos locais que estão agora a concurso é a mesma, mas a preocupação é diferente. “O que estraga é o comportamento e não a quantidade de pessoas que visita os locais. A pensar nessa situação, estamos a construir um código de conduta que será divulgado em Abril”, explicou Luís Segadães.

As escolas serão envolvidas na iniciativa, num molde que está a ser estudado, mas para já o apoio são de parceiros como GEOTA, Quercus, Liga para a Protecção da Natureza, Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, National Geographic e do Ministério do Ambiente. Luís Segadães deseja que no final “os portugueses se sintam representados pelas 7 Maravilhas”.

 

Os portugueses poderão votar no site       www.7maravilhas.sapo.pt

quando a 7 de Março forem escolhidos os 21 locais finalistas. A 11 de Setembro, os vencedores serão anunciados na lagoa das Sete Cidades, em São Miguel, nos Açores.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 Para  consulta visite o site   http://www.7maravilhas.sapo.pt/

 

Clique em: 

             1 - Nomeados

             2 -  Região

             3 - Centro

             4 - Coimbra

             5 - Gois

             6 - Penedos de Gois

 

  ou então em:

 

                1 -  Categoria

                2  - Grandes Relevos

                3  -  Penedos de Gois

 

 

publicado por penedo às 09:06

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010

Penedos de Góis e Vale do Ceira entre os nomeados

7 MARAVILHAS NATURAIS

 

Penedos de Góis e Vale do Ceira entre os nomeados

O Vale do Ceira e os Penedos de Góis foram os monumentos naturais escolhidos pelo município para uma candidatura às “7 Maravilhas Naturais de Portugal”. Uma escolha feita em boa hora, uma vez que estes dois ex-libris “passaram” a primeira fase de candidatura.

Satisfeita com esta “aceitação”, a presidente da Câmara de Góis sublinha o objectivo primordial da candidatura, ou seja, «promover o concelho de Góis e as suas potencialidades naturais». Lurdes Castanheira refere a grande riqueza, em termos naturais do concelho, «bafejado pela mãe-natureza», mas destaca em especial o Vale do Ceira e os Penedos de Góis. «Tivemos de fazer uma escolha e recaiu sobre estas duas “maravilhas”», adianta.

Sem esconder o seu «orgulho por termos passado a primeira fase», particularmente tendo em linha de conta «que concorremos com mais de 300 candidaturas de todo o território nacional», Lurdes Castanheira afirma a sua vontade de continuar na “corrida” e de, no próximo mês de Fevereiro, passar a integrar os 77 candidatos seleccionados. Todavia, reconhece que o desafio é enorme, «mas não impossível», uma vez que «já passámos pelo primeiro crivo».

Lurdes Castanheira faz questão, de resto, de sublinhar o envolvimento que esta candidatura gerou, dentro e fora de portas da Câmara, contando com a colaboração muito próxima de um «conjunto de pessoas que conhecem muito bem o nosso património natural». Destaque especial merecem-lhe Filipe Carvalho, adjunto da presidência da autarquia, bem como de Paulo Silva, da empresa Transserrano.

Independentemente do desfecho que o concurso para a eleição das 7 Maravilhas Naturais de Portugal possa ter no que se refere à candidatura dos Penedos de Góis e do Vale do Ceira, Lurdes Castanheira quer firmar e dar a conhecer este património único. Recorda, a propósito, que um dos seus objectivos, ainda enquanto candidata à Câmara de Góis, foi efectivamente a candidatura destes ex-libris «a património nacional ou ao nível da Unesco», uma vez que «é um património único, ao qual ainda não foi ainda atribuído o valor que merece nem reconhecida a sua imensa riqueza».

Significa pois, de acordo com a autarca, que este concurso se “encaixou” perfeitamente naquilo que são os objectivos da Câmara de Góis, apresentando--se como que uma primeira fase ou uma experiência pioneira para “voos mais altos” que Lurdes Castanheira está empenhada em empreender, no sentido de obter o justo reconhecimento deste património.

Apesar de reconhecer a «pouca projecção» que o concelho de Góis possa ter a nível nacional, Lurdes Castanheira acredita que todo o território vai estar, em termos de concurso, em igualdade de circunstâncias com todos os outros e assume que «gostaríamos muito que uma das nossa candidaturas fosse eleita como uma das 7 Maravilhas de Portugal». Mas «se isso não acontecer, vamos avançar com outras processos de candidatura», adianta, garantindo que «não vamos deixar passar em branco qualquer oportunidade». Com a garra que lhe é característica, Lurdes Castanheira afirma que «temos de ser ambiciosos, sem ambição não há desenvolvimento».

Referências ímpares

A presidente da Câmara de Góis refere ainda, a propósito dos Penedos de Góis, o facto de se tratar de um «monumento sem qualquer intervenção humana», que, de resto, tem sido preservado da proximidade de torres eólicas. Trata-se, defende, de «um dos mais soberbos miradouros naturais da região Centro», que no seu ponto mais alto atinge uma cota de 1.043 metros de altitude. Aponta ainda a riqueza que rodeia este afloramento quartzítico do período do Ordovício, quer em termos de flora, quer de fauna, características da Serra da Lousã, que integra a Rede Natura 2000. Faz ainda notar que se trata de um monumento que, pelas suas especificidades em termos geomorfológicos, tem atraído investigadores de várias universidades.

Relativamente ao Vale do Ceira, Lurdes Castanheira refere que em causa está um «vale encantado», que retrata uma «paisagem idílica», repleta de elementos de grande riqueza e biodiversidade, cujas águas cristalinas são uma «referência ímpar». Uma zona onde o «homem sempre viveu em total harmonia com a natureza» e que constitui, adianta, «um valor histórico, cultural e etnográfico das gentes que aqui se estabeleceram, abraçando o modo de vida dos seus antepassados, vivendo em consonância com a natureza e dela subsistindo».

.
Manuela Ventura
in Diário de Coimbra de 13/01/2010
publicado por penedo às 09:17

link do post | comentar | favorito
|

Disposições dos Penedos de Góis



 

 

-
 

 

 

 

Aqui estão os 323 nomeados às 7 Maravilhas Naturais de Portugal. Os meus Penedos de Góis na Região Centro, Góis, estão lá incluídos. Estou muito satisfeita só pela simples nomeação. Não sei quem propõe, talvez as autarquias ... Afinal, num belo e pequeno País como é o nosso, existem imensas regiões naturalmente belas. Eu própria tenho algumas bem guardadas como autênticos paraísos. Mas os meus Penedos, são outra coisa. É uma coisa que está no âmago do meu ser. Pertencem-me por transmissão nos genes. Antepassados meus olharam-nos com outros olhos que não os meus, olhar de descanso e plenitude. Eles guardaram olhares de muito cansaço, de muito esgravatar a terra de pouca terra e muito calhau, de orientação à noitinha no caminho para casa. Ao longe, quando os vejo espreitar, sei que não me perderia e estou perto de casa.
 
Por um lado espero que obtenham um lugar de relevo, porque são pouco conhecidos. Por outro lado, não me faz diferença que não sejam descobertos por muitos olhares. Porque a seguir vem a contaminação visual. Não sabemos preservar.

 

in

http://coisas-de-tia.blogspot.com/

 

publicado por penedo às 09:00

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2009

RECANTO DO PENEDO

 

 

Mais uma imagem obtida nos anos oitenta.

Uma subida ao mesmo com a rapaziada do Esporão e da Ribeira.

Hoje as subidas são mais programadas,naquele tempo foi uma aventura
 
 
publicado por penedo às 17:09

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 5 de Dezembro de 2009

Para mais tarde ....Recordar!!!

 

in

confraria.trotamontes

 

publicado por penedo às 21:06

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009

Passeio aos Penedos

 

 

 

 

clique para ver

www.youtube.com/watch

 

 

 

 

 

 

publicado por penedo às 23:05

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Casa da Fonte

. À Volta dos Penedos...Sky...

. O Penedo

. À volta dos Penedos- Povo...

. 5 anos de Penedos de G...

. S. António da Neve

. Á Volta dos Penedos .......

. Á VOLTA DOS PENEDOS...CAR...

. á volta dos Penedos

. PASSEIO AOS PENEDOS

.links

.arquivos

. Setembro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO